Papa: ecumenismo atingiu um «ponto crítico»
Alerta sobre a tentação de ver a doutrina como divisível

Bento XVI disse na manhã de sexta-feira em Sydney que o movimento ecumênico está em um ponto crítico, e deve-se resistir contra a tentação de ver a doutrina como divisível.

O Papa afirmou isso em um encontro ecumênico com 50 líderes religiosos que aconteceu no contexto da 23ª Jornada Mundial da Juventude, que segue até domingo na cidade australiana.

Após mencionar as conquistas ecumênicas na Austrália e as oportunidades geradas pelo jubileu do Ano Paulino, o Santo Padre propôs que o movimento ecumênico «chegou a um ponto crítico».

«Para avançar, devemos pedir continuamente a Deus que renove as nossas mentes com a graça do Espírito Santo, que nos fala através das Escrituras e nos guia para a verdade total», explicou.

«Devemos precaver-nos contra toda a tentação de considerar a doutrina como fonte de divisão e, consequentemente, como impedimento daquilo que parece ser a tarefa mais urgente e imediata: melhorar o mundo onde vivemos»

O Papa afirmou que a história da Igreja demonstra que «praxis não só é inseparável da didaché, da doutrina, mas antes dimana dela».
«Quanto mais assiduamente nos dedicarmos a alcançar uma percepção comum dos mistérios divinos, tanto mais eloquentemente hão-de as nossas obras de caridade falar da imensa bondade de Deus e do seu amor para com todos. Santo Agostinho exprimiu a recíproca ligação entre o dom do conhecimento e a virtude da caridade, quando escreveu que a mente retorna a Deus através do amor, e que onde se vê a caridade, vê-se a Trindade».

Verdade e Amor

Bento XVI afirmou que o diálogo entre as religiões cristãs avança não somente «mediante um intercâmbio de idéias, mas também partilhando dons que nos enriquecem mutuamente.

«Uma ‘idéia’ tem em vista alcançar a verdade; um «dom» exprime o amor. Ambos são essenciais para o diálogo», ele explicou. «A abertura de nós mesmos para aceitarmos dons espirituais de outros cristãos estimula a nossa capacidade de receber a luz da verdade que vem do Espírito Santo».

O Santo Padre mostrou também a importância da busca da verdade com duas imagens bíblicas para a Igreja: «corpo» e «templo».
«Quando usa a imagem do corpo, Paulo chama a atenção para a unidade orgânica e a diversidade que permite à Igreja respirar e crescer», explica. «Todavia é igualmente significativa a imagem de um templo firme e bem estruturado, composto de pedras vivas, assentes sobre um alicerce seguro. O próprio Jesus reúne em Si mesmo, em perfeita unidade, estas imagens de ‘corpo’ e de ‘templo’»
«Cada um dos elementos da estrutura da Igreja é importante; mas todos vacilariam e ruiriam sem a pedra angular que é Cristo», acrescenta o Pontífice. «Como ‘concidadãos’ desta ‘casa de Deus’, os cristãos devem trabalhar juntos para fazer com que o edifício permaneça seguro de tal modo que outras pessoas sintam a inclinação para entrar nela e descobrir os abundantes tesouros de graça que se encontram no seu seio.

«Ao promover os valores cristãos, não devemos negligenciar a proclamação da sua fonte, prestando unânime testemunho a Jesus Cristo Senhor. Foi Ele quem confiou a missão aos apóstolos, foi d’Ele que falaram os profetas, e é Ele o que oferecemos ao mundo».

O Papa concluiu com um chamado a refletir sobre a «vocação profética» que os cristãos de todos os tempos receberam.

«Paulo fala da importância dos profetas na Igreja dos primórdios; também nós recebemos uma vocação profética por meio do Baptismo», conclui o pontífice. «Confio que o Espírito Santo abra os nossos olhos para verem os dons espirituais dos outros, abra os nossos corações para receberem a sua força e abra totalmente as nossas mentes para acolherem a luz da verdade de Cristo».

Fonte: Zenit. SYDNEY.18 de julho de 2008. ZP080718. www.zenit.org

CLIQUE AQUI PARA LER O DISCURSO NA ÍNTEGRA

VOLTAR


 

"Fazei todas as coisas sem murmurações nem críticas..." Filipenses 2,14