DEZEMBRO 2008

Comunidade Bom Pastor faz 33 anos

Uma noite de ação de graças, alegria exultante, gratidão e de emoção. Assim foi a celebração da Missa em Ação de Graças pelos 33 anos da Comunidade Bom Pastor, no dia 1º de dezembro, na Paróquia N S de Copacabana. Celebrávamos o 1º de dezembro de 1975, também uma primeira segunda-feira do Advento, quando aconteceu a primeira noite de reunião da Comunidade Bom Pastor na casa de João e Doris, seus fundadores.

D Wilson Jönck, Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio presidiu a Missa, concelebrada por 13 sacerdotes, incluindo os 5 que são comprometidos com a Comunidade, os Padres: Antonio José, Gleuson, Felipe, Gustavo, Dudu.

Dom Wilson ministrou dois batizados: a uma jovem de Angola que conheceu a Comunidade este ano e  a uma criança de 10 meses, filha de uma jovem da Comunidade e, ainda ministrou a Primeira Comunhão à jovem africana e  a mais 2  jovens que conheceram o amor de Deus neste ano.


Na homilia, ao se referir ao batismo, D. Wilson afirmou que é realmente por este Sacramento que começa o encantamento com Jesus e com a vida cristã. “Não há nada mais importante do que nos colocarmos sob a ação de Deus para que Ele aja em nós. E é assim que eu vejo a Comunidade Bom Pastor.

Deus quer se servir da Comunidade para atuar em toda a cidade. Através do encantamento pessoal com Jesus, Deus vai colocando a sua marca no Rio de Janeiro e até onde o Senhor quiser  alcançar. Isso é viver as conseqüências do nosso Batismo.

Que este testemunho forte de amor da Comunidade Bom Pastor não esmoreça quando o desânimo e o egoísmo se levantarem na alma de cada um. Que Deus possa contar sempre com a Comunidade Bom Pastor. Se nos sentirmos pequenos, é aí que Ele manifesta a sua grandeza.

E, assim, o encantamento por Jesus é renovado”, disse o Bispo.


Após o Batismo, alguns irmãos que não puderam participar do retiro anual de renovação de consagração, que aconteceu na véspera, puderam fazer a renovação do seu compromisso, entre eles 4 dos cinco sacerdotes que já são da Comunidade. 

No ofertório, todos aqueles que neste ano ingressaram nos Grupos de Partilha da Comunidade, entraram em procissão, cada um trazendo um ramo de trigo representando a colheita de 2008 para Deus.

Antes da bênção final, aconteceu um momento que comoveu a todos. Jardelina, 92 anos - a mais antiga consagrada - rodeada dos jovens da Comunidade, contou com breves palavras como foi o início da Comunidade:

“Amados irmãos,

Hoje é o dia que Deus fez para nós. Dia de alegria e de felicidade.

Eu sou testemunha de toda essa história.

Quando aqui cheguei éramos cerca de 14 pessoas, eu estava ainda na classe dos 50.
Hoje com 92 posso testemunhar as maravilhas operadas pelo Bom Pastor neste Seu aprisco.

Ovelhinhas feridas foram curadas. Cegas, tiveram a visão recuperada. Algumas, surdas, conseguiram ouvir e gravar as palavras confortadoras e restauradoras. Outras, mudas, incapazes de abrir a boca para pronunciar o nome do Senhor, hoje, são verdadeiros arautos, proclamando com autoridade os feitos gloriosos do Bom Pastor.

Amados irmãos, eu exulto de alegria ao olhar estes jovens que se aproximam e fazem parte deste rebanho. Alguns já nasceram aqui e com fidelidade alegram o nosso aprisco atraindo com sua música, seu canto e sua autenticidade muitos outros jovens.

Deus os abençoe! Que daqui a 33 anos vocês estejam aqui, perseverando no AMOR, PAZ e ALEGRIA e possam dizer como hoje eu digo:

Eis-me aqui, Senhor! Quero louvar, agradecer, e celebrar o Teu nome glorioso!..."

Em todos os rostos, a alegria daquele momento! Nas pessoas idosas, que caminham na Comunidade Bom Pastor desde os seus primeiros dias; nos casais, que encontraram o sentido de suas vidas e puderam ver os lares reconstituídos; nos jovens, se descobrindo no encontro com o Senhor, nas crianças, aprendendo a caminhar de mãos dadas com Jesus...
Em cada um, uma linda história com Deus!

A noite terminou com uma confraternização a sede da Comunidade, no 9º andar  Paroqquia Nossa Senhora de Copacabana.
Na foto D. Wilson e os padres consagrados e alguns que vieram de longe para prestigiar e partilhar conosco desse momento de alegria. 

 

 

 

 

NOVEMBRO 2008

Retiro
Retomando o Amor de Deus

"Retomando o Amor de Deus" foi o tema do nosso retiro de novembro, nos dias 22 e 23. Entre os pregadores, contamos com os sacerdotes gêmeos, Pe. Wellington, Reitor de Seminário de Niterói, e Pe.Wallace, Pároco da Catedral de Niterói, que pela primeira vez falaram para nós, e também o Pe. Nelson, Pe Ramon, Carmem e Laura.

Os sacerdotes gêmeos nos levaram a um passeio pela Sagrada Escritura, começando por Gênesis, passando pelos patriarcas e profetas e nas principais passagens em que vemos a ação sempre presente do Espírito Santo.

“O Batismo no Espírito Santo é uma oração de fé e fervor que podemos e devemos fazer todos  os dias, pois nos dá a unção necessária para as atividades daquele dia".

"Com o Batismo no Espírito Santo, podemos enfrentar e vencer o desânimo e todas as outras formas de obstáculos  e de ataduras que querem paralisar os filhos de Deus”. Assim ensinaram os padres.

Laura falou sobre as condições para receber o Batismo no Espírito Santo. Entendemos que estas condições – querer, pedir, arrepender-se e perdoar – são necessárias porque Jesus falou: “Para vinho novo, odres novos”.

Os sacerdotes gêmeos nos levaram a um passeio pela Sagrada Escritura, começando por Gênesis, passando pelos patriarcas e profetas e nas principais passagens em que vemos a ação sempre presente do Espírito Santo.

“O Batismo no Espírito Santo é uma oração de fé e fervor que podemos e devemos fazer todos  os dias, pois nos dá a unção necessária para as atividades daquele dia".

Carmem encerrou as colocações de sábado, explicando sobre os Dons Carismáticos do Espírito Santo. “Não podemos ficar na ignorância sobre os dons”, como está na Carta aos Coríntios (12, 1-11). Os dons são presentes de Deus para nós. Os recebemos de graça e não por merecimento. Os dons são do Espírito Santo são irrevogáveis, isto é, Ele dá para sempre, e dá conforme Lhe apraz e para proveito de todos”, disse Carmem.

No domingo, Pe Nelson falou sobre Frutos do Espírito Santo despertando em todos  um desejo novo de cultivar e deixar brotar em nossas vidas cada um deles. E, enfatizou: “Quem tem Jesus não fica de braços cruzados, adiando, deixando o tempo passar para depois produzir frutos. Jesus chama nossa atenção para a parábola da figueira nos mostrando que os frutos aparecem como expressão do amor de Deus”.

Na leitura de João 15,1-8, entendemos que o galho que não produz frutos é aquele que não toma decisões e segue com Jesus, corre o risco de ficar ressequido e pode quebrar por si mesmo.

A Missa de domingo foi celebrada pelo Pe Ramom. Na homilia, ele clamou: “O motivo principal desta Festa de Cristo Rei é submeter todas as coisas a Jesus, deixando que Ele nos dirija, sabendo, como está no salmo de hoje, Salmo 22, que Ele nos leva aos campos verdejantes e as águas refrescantes para restaurar as forças da nossa alma”.

Agradecemos ao Bom Pastor que nos levou a viver momentos gloriosos da presença do Espírito nos inundando com o amor do nosso Pai.




Conferência Internacional de Novas Comunidades em Roma

A Comunidade Bom Pastor esteve presente na 13ª Conferência Internacional de Novas Comunidades. O Congresso contou com cerca de 800 pessoas, entre Cardeais, Bispos, religiosos e muitos leigos, procedentes dos cinco continentes. Todos eles foram recebidos pelo Papa Bento XVI em audiência particular, no Vaticano, onde falou às Novas Comunidades e abençoou a sua missão (Esta palavra do Papa se encontra no site www.vatican.va /discursos do Papa em outubro 2008).

Foram palavras iniciais do Santo Padre: "Com muito prazer dou-vos minhas mais cordiais boas-vindas e vos agradeço por esta visita por ocasião do II Encontro Internacional de Bispos que acompanham as novas comunidades da Renovação Carismática Católica, do Conselho Internacional da Fraternidade Católica Internacional de Comunidades e Associações Carismáticas de Aliança; e, por último, da XIII Conferência Internacional, convocada em Assis, sobre o tema "Nós pregamos um Cristo crucificado, força de Deus e sabedoria de Deus" (cf. 1 Coríntios 1, 23-24), na qual participam as principais comunidades da Renovação Carismática do mundo (grifo nosso).
 
Participaram do Congresso como representantes da Comunidade Bom Pastor: Pe Antonio, Nilton, o casal Margot e Natal; Stael, Iete, Moisés, nosso irmão que mora em Belo Horizonte e a Olívia, da Banda, que foi acompanhada pelo marido, Flávio; e esteve conosco Angela DeBellis, nossa irmã de Comunidade que hoje é membro da Comunitá de Jesú. Todos foram acolhidos com grande amor pelos irmãos da Comunità de Jesú principalmente pela Carmela, que já tem estado conosco no Brasil.

Iete, (ao lado do Nilton à esquerda) lançou para nós a pergunta que foi feita na palestra de abertura do Congresso. Qual a missão das Novas Comunidades ? “Sei que Deus chama e, às vezes sacode, cada um de nós a evangelizar, evangelizar e evangelizar”, falou comovida.

 

 

Para ela, um dos destaques foram os depoimentos das Novas Comunidades da África e da Ásia. No continente asiático, muitas delas sofrem perseguição diária. “Em uma cidade da África, 3 pessoas passaram a se reunir semanalmente para orar. Isto aconteceu ao mesmo tempo em outras paróquias do mesmo local. Um ano depois, como resultado, surgiram 500 novos Grupos de Oração na região”.

Para Stael, um dos pontos  mais fortes foi o clamor de um dos palestrantes que convocava os presentes a assumirem o senhorio de Jesus. A fazerem isso de forma mais profunda e verdadeira, proclamando a Autoridade e Domínio de Cristo como Rei e Senhor em cada dia e sobre cada situação.

Ela também destacou o testemunho de um rabino que após ter sido convidado para um grupo de oração onde os irmãos proclamavam o salmo 21 (salmo bastante usado em festas judaicas), teve uma visão com Jesus e se converteu ao cristianismo.

Nilton destacou a palestra do Prado Flores que falou sobre relacionamento e fraternidade dentro das Comunidades. “Ao comentar sobre o texto da cura que Jesus opera em 2 cegos, Prado Flores chamou a atenção para o fato dos cegos clamarem: Senhor tem piedade de nós, em vez de cada um dizer: tem piedade de mim. Ele explicou que na verdade eles estavam dizendo:Senhor, cura a mim e cura o meu irmão que está do meu lado também.

Ele também usou o texto da ressurreição de Lázaro, explicando que Jesus ressuscita o morto, mas pede aos irmãos para tirar as ataduras desatando a Lázaro.

Também eu (dizia Prado flores), dependo dos outros para desatar as faixas que me aprisionam. Desatar é perdoar. O Senhor podia fazer isso, mas pede aos irmãos para tirar a pedra. Prado Flores afirmou que a função dos responsáveis é tirar as pedras que estão impedindo a muitos de viverem na liberdade dos filhos de Deus. O pregador contou ainda que em um local muito frio, os porcos- espinhos só não morreram porque permaneceram juntos, um aquecendo o outro. Ficaram feridos, pois um espetava o outro, mas as feridas causadas pelos espinhos contribuíram também para que eles não morressem”.

Todos foram edificados e encorajados com as palavras do Papa Bento XVI : “Como já afirmei em outras circunstâncias, os Movimentos Eclesiais e as Novas Comunidades, florescidos depois do Concílio Vativcano II, constituem um dom singular do Senhor e um recurso precioso para a vida da Igreja. Devem ser acolhidos com confiança e valorizados em suas diferentes contribuições que devem ser postas ao serviços da utilidade comum de maneira ordenada e fecunda. Envio de coração, a todos vós e às vossas Comunidades uma especial Benção Apostólica”

Louvamos ao Senhor com grande alegria por nos ter chamado a estar lá, nessa oportunidade preparada por Suas mãos, representando as Novas Comunidades do Brasil como membro associado da Catholic Fraternity of Charismatics Covenant Communities and Fellowships.

 

Dia de Todos os Santos com Happy Hour

No dia 1° de novembro, Festa de Todos os Santos, os jovens da Comunidade promoveram uma linda noite com a intenção de comemorar essa celebração da Igreja com um happy hour.

Além de reunir os jovens na alegria, arrecadar fundos para a compra do novo som da Comunidade. O salão do 9º andar ficou lotado de jovens e adolescentes e o chão tremeu com a alegria da música e da dança.

Iniciando o evento, o DJ Ronald animou os jovens com louvores ao Senhor na música eletrônica, tocando várias canções conhecidas no meio católico com ritmos diferentes.

Em seguida, a Companhia de Artes da Comunidade Shalom, encantou a todos com duas apresentações de dança. A festa contou, também, com a animação do Valteci, da Banda Aliança de Vida e da nossa Banda Bom Pastor.

As atrações foram apresentadas por Pe Julio e Ângela.

Bruna, uma das organizadoras, diz:

“Como foi bom nos divertirmos na pista de dança com músicas tão alegres, e de uma maneira santa!

Toda a preparação, organização e produção, foi feita pelos jovens que se responsabilizaram também pela divulgação e decoração do salão contando com o auxílio de Alzira, Graça e Nilton.

 

Esse evento foi muito belo, pois toda a Comunidade se envolveu para realizá-lo.

As partilhas abraçaram a causa e com muita generosidade fizeram doações do que precisávamos para a festa.

Nosso muito obrigado também ao Marcelo, um freqüentador do Grupo de Oração da Noite, que nos emprestou a aparelhagem de som.

Agradecemos a todos que se doaram com tanto amor e perseverança, não importando com as dificuldades enfrentadas para que a meta de um novo som seja alcançada. O valor líquido obtido foi $ 2.460,00.

Que o Senhor os recompense e que esse ânimo em prol do Reino de Deus esteja sempre vivo em nosso coração!

 

 

OUTUBRO 2008

Retiro fechado para consagrados

A Comunidade Bom Pastor se reuniu nos dias 17, 18 e 19 de outubro para o retiro anual e fechado para consagrados na Casa de Retiros Padre Anchieta, na Gávea. O retiro teve como tema o Salmo 100 com ênfase ao 1º versículo: "Desejo o trilhar o caminho do bem” para desenvolver meditação através da Lectio Divina.

Contamos com a participação de 4 sacerdotes: Pe Nelson, que nos conduziu a entender melhor a profundidade das palavras do Salmo; Mons. Elia Volp, desenvolvendo o tema da Lectio Divina; Pe. Gleuson levando-nos à adoração do Santíssimo Sacramento e oração de cura; e o Pe. Ramon, celebrando a missa de encerramento.

Na homilia, ele disse: passamos esse fim de semana aprendendo do Senhor como Ele deseja que vivamos nossa consagração para que Sua luz brilhe cada dia mais em nossa vida.

Laura Beatriz conduziu a reflexão sobre os nossos Termos de Compromisso. Foi uma oportunidade rica para que os irmãos consagrados aprofundassem cada termo que nos comprometemos em nossa consagração. E, ao mesmo tempo, um momento de revisão e metas para o nosso crescimento pessoal e comunitário.

 

SETEMBRO 2008

Retiro Viver em Comunidade

Jesus nos ensina a viver em Comunidade foi o tema do nosso retiro de setembro que aconteceu nos dias 06 e 7, na sede. Muitos dos que participaram puderam testemunhar que receberam um novo olhar para o outro, para o próximo, um olhar que identifica: é meu irmão, minha irmã.

No sábado, tivemos duas palestras com o Pe Renato, de Petrópolis. Ele se baseou nos capítulos 1 e 2 de Gênesis quando vemos o caos se transformar em cosmo e o homem ser colocado por Deus em um jardim. “É a palavra de Deus que cria, organiza e faz do caos um cosmo. Como está minha vida hoje, no caos ou no cosmo? Um deserto ou jardim? Dê nomes a estas diversas dimensões. Quando sua vida estiver como um deserto onde falta tudo, a Palavra poderosa de Deus quer realizar aquilo que Deus sonhou para você sabendo que as plantas deste jardim não virão sem o seu esforço. Tire a ingenuidade da sua cabeça. Você não pode viver com o outro como seu irmão, mesmo convivendo com muita gente na igreja, na sua casa, se não tiver organizando o seu jardim interior. Muitas vezes olho para o outro como inimigo porque esqueci a minha origem: o próprio Deus”, nos fez refletir o sacerdote.

Pe Gleuson deu continuidade com o tema Jesus a fonte e o centro da Comunidade. Ele se baseou no texto do paralítico que recebeu a cura após ter sido carregado pelos amigos até Jesus, Mc 2,1-12. “Este homem não pode por si mesmo ir até Jesus, mas encontra quatro companheiros que o ajudam. Achamos que não precisamos do outro até que vem uma doençazinha. Uma dificuldade, um problema nos faz entender o quanto precisamos do outro”. Reconciliação foi uma das palavras fortes que vivenciamos, tanto na palestra quanto na adoração ao Santíssimo ministrada por ele.

No domingo, Ângela nos ajudou a entender que a unidade é a base da Comunidade. Para isso, ela se baseou no clamor de Jesus em João 17,21: “Que todos sejam um, para que o mundo creia”. Laura falou sobre a unidade consigo próprio e a unidade com Deus. Baseando-se em Rom 7, 14-2, pudemos compreender, sem medo, que “nossas quedas nos ensinam uma lição maior do que nossas virtudes poderiam nos dar ”. Nilton partilhou sobre a unidade com os irmãos e entre os irmãos de forma clara e com exemplos do dia-a-dia na comunidade. Os participantes puderam perceber como é viva e tão real a presença de Jesus quando dois ou mais (com todos os seus defeitos, limites e contradições), se reúnem em Seu Nome.

A Missa de conclusão do retiro foi celebrada pelo Pe Felipe Lima. O evangelho do dia veio coroar tudo o que ouvimos durante o encontro: “Se dois de vós estiverem de acordo na terra sobre qualquer coisa que quiserem pedir, isso lhes será concedido por meu Pai que está nos céus”, Mat 18,19. Na homilia, Pe Felipe nos deixou como recado final a frase da segunda leitura: “Não deveis nada a ninguém a não ser o amor mútuo”, Rom 13,8.

 

Congresso de Novas Comunidades

Os servos consagrados da Comunidade Bom Pastor viveram uma maravilhosa experiência de comunhão ao conviver por dois dias com irmãos e irmãs de outras Comunidades no III Congresso Estadual de Novas Comunidades promovido pelo Ministério Atos 2, da Renovação Carismática Católica, no Seminário Arquidiocesano S José, que aconteceu nos dias 13 e 14 de setembro. Com o tema Tempo de crescer, o encontro contou com a presença de D Wilson, Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro e com os fundadores da Comunidade Remidos no Senhor, de Campina Grande-PB, o casal Ronaldo e Alessandra nas pregações. D Assis, Bispo Auxiliar celebrou para nós no sábado e Pe Felipe Lima, no domingo.

Alessandra abriu o encontro falando sobre Comunidades, como fruto da efusão do Espírito de Deus. “Permanecer em Jerusalém, como está em Atos 1,8, significa permanecer no Coração de Deus, permanecer no lugar da oração”. Ronaldo deu continuidade abordando a Formação, como caminho para a maturidade. Tendo por base o texto de Ef. 4,7-16, ele explicou: “Ou nós crescemos em Comunidade ou diminuímos. A formação não pode ser improvisada e precisa ser integral, inclusive formação humana, pois ela tem por fim reduzir todo pensamento a Cristo e por isso envolve desde o momento da chegada, até consagração na Comunidade e a formação permanente. O planejamento é um projeto formativo e não aleatório, com objetivo, conteúdo e método. A formação dever estar focada no aprofundamento e desdobramentos dos carismas”.

D Wilson nos levou a refletir sobre a Perseverança. “A Comunidade cresce quando é capaz de enfrentar dificuldades. Quando compreendemos melhor a Palavra, compreendemos melhor a nós mesmos. Se diante de um texto bíblico, você se inebria, aí você cresce. Quando a Palavra de Deus não me entusiasma mais, parei de crescer. É preciso sempre voltarmos aos carismas com admiração. Para isso, vejo que Deus aponta uma palavra: disposição. Cultivá-la, a cada dia, para não deixar o projeto de Deus ficar à mercê da nossa disposição”.

“Carisma é um dom particular que comporta um jeito novo de viver a Palavra de Deus. É uma resposta a alguma necessidade da Igreja, por isso o carisma traz novidade”, assim definiu Alessandra na palestra sobre carisma de fundação. Ela comparou a pessoa de São João Batista como está no Evangelho de São João 1 , 2 e 3 à de um fundador de Comunidade. “Mais importante do que os carismas da minha Comunidade é o Doador do carisma. Todos os serviços têm como objetivo glorificar a Deus e amar a Jesus. Por que estou no trabalho de intercessão? Por que tenho que dar esta palestra? Por que tenho grupo de oração toda semana? Para dar glória a Deus vivendo e mostrando o Seu Amor”.

Caminhando com a Igreja foi o assunto da última palestra ministrada pelo Ronaldo. “O Espírito Santo abre espaço para receber o novo e nos faz estar atentos ao mistério, sem pré-julgar. Precisamos olhar com reverência para os carismas de outras comunidades. Ver as diferenças transfiguradas, isso extasia o mundo. Não sabemos a melhor forma de fazer comunhão. Ao reconhecer isso, podemos entender as pistas que o Espírito Santo nos dá. Nova Comunidade é profecia. Colocar vinho novo em odres velhos é colocar as comunidades dentro das pastorais que são maravilhosas e tremendamente úteis expressões de ser igreja, mas nós não fomos criados para ser uma pastoral”. No final, Ronaldo comoveu a todos ao compor uma declaração a Deus em forma de oração, incluindo os nomes de todas as Comunidades presentes. Saímos do Congresso experimentando aquilo que o Salmo 132 nos declara: “Como é bom para irmãos unidos viverem juntos... pois aí derrama o Senhor a vida e uma bênção eterna”.

 

AGOSTO 2008

ENCONTRO DE VIDA CONSAGRADA

III Encontro Arquidiocesano de Vida consagrada aconteceu no dia 17 de agosto, no auditório do Colégio São Bento reunindo mais de 600 pessoas, entre religiosos de diversas congregações, leigos e leigas consagrados das Sociedades de Vida Apostólica, dos Institutos Seculares e inúmeros homens e mulheres consagrados nas Novas Comunidades, com destaque para o grande números de jovens. Pelo terceiro ano, D Wilson Tadeu Jönck, Bispo Auxiliar da Arquidiocese responsável pelos consagrados em nossa cidade, idealizou e preparou, junto com a equipe formada pelos representantes de cada segmento da vida consagrada, esse dia de celebração e partilha. Neste ano, o tema foi São Paulo, Apóstolo de Cristo. A animação musical ficou por conta do ministério de música da Comunidade Bom Pastor.



O encontro teve início com a Missa presidida por D Wilson e concelebrada pelo Pe Rogério. Na homilia, o Bispo declarou: “Onde Cristo chega, acontece aquilo que houve com Isabel: a alegria toma conta. Aqui entendemos nossa missão de consagrados, levar  Cristo e a alegria que só Ele dá, onde estivermos”. Ao comentar sobre a primeira leitura, D Wilson alertou: “No texto de Apocalipse, aparece a Mulher e um dragão.  Vivemos em um mundo povoado de dragões. Nós consagrados, somos convidados a cuidar de Jesus como Nossa Senhora cuidou. Se não cuidarmos, o dragão entra e devora. Quando a alegria não está no centro, é sinal que o dragão entrou. Estejamos atentos a esse dragão que quer devorar todas as graças de Cristo na nossa vida interior e em nossas casas”.

Após o intervalo, Dom Wilson deu uma palestra sobre o Apóstolo dos gentios através da apresentação de slides em um telão. Para que a vida e a importância de São Paulo fosse mais conhecida, o bispo falou sobre Tarso, a cidade onde Saulo nasceu e cresceu e que lhe deu o título de cidadão romano, sua formação religiosa no judaísmo e civil na cultura grega, sua conversão e suas viagens missionárias que foram mostradas em mapa. “Todas as viagens que São Paulo fez para evangelizar tinham 4 características: a pregação da Palavra; milagres realizados; a superação da magia e das superstições e a marca do sofrimento e das tribulações”, explicou o Bispo.     
    
Depois do almoço compartilhado, a Comunidade Pequeno Rebanho apresentou uma comovente encenação teatral sobre a vida de São Paulo. A peça iniciou com o jovem Timóteo, a quem Paulo tinha como filho na fé (I Tim 1,2) narrando os principais fatos ocorridos de São Paulo. A narração acontecia como uma história contada. Enquanto ele falava, as cenas aconteciam no palco começando com o apedrejamento de Estevão passando pela terrível perseguição de Saulo aos seguidores de Jesus e os fatos que mais marcaram a vida de Paulo como seu encontro com Ananias, com Barnabé e com Pedro; suas pregações e a prisão que o levou a morte. Um dos momentos mais marcante foi a palavra de Paulo para Timóteo: “ninguém te desprezes por seres jovem... Não negligencieis o carisma que está em ti...” (I Tim 4,12-14). “Nesta hora, creio que todos se sentiram como se Timóteo estivesse representando cada um de nós. Tivemos a certeza de que as palavras de Paulo ditas a  ele, ultrapassaram o limite do tempo e do espaço para chegar hoje até nós”, contou Francilaide, da Comunidade Bom Pastor. A peça terminou com São Paulo no céu diante de Jesus Cristo Ressuscitado lhe dando a coroa da justiça.

A última parte do encontro foi dedicada aos testemunhos de algumas Comunidades, como a Comunidade de Jesus, com sede na Itália e que dá seus primeiros passos no Brasil, em nossa cidade, que tem como carisma a unidade e o ecumenismo. No final, Dom Wilson agradeceu dando bênção a todos.

BANDA BOM PASTOR ENCERRA A FESTA DA PADROEIRA NA PRAÇA EM COPACABANA



“Você é maravilha aos olhos de Deus”. Dá para imaginar a Praça Serzedelo Correia, no coração de Copacabana, cantando este refrão? Pois foi o que aconteceu no encerramento da festa pelo centenário da Paróquia N S de Copacabana. Apesar de já ter percorrido vários locais do Rio e do Brasil, pela primeira vez a Banda Bom Pastor animou um show em espaço público no Bairro de Copacabana. Dava para ouvir o canto "Filho de Davi, ouve a minha voz. Filho de Davi, atende o meu clamor, eu estou aqui ..."  até nas ruas próximas. À medida que as músicas eram tocadas, podia-se perceber que a fé e alegria tomavam conta do público presente e daqueles que se aproximavam. Muitos cantavam com entusiasmo as músicas mais conhecidas da Banda como Basta uma Palavra, A Vitória, Coração Adorador, entre outras. 

Um dos momentos mais emocionantes da noite se deu quando a Banda ministrou a música "Posso confiar". Foi comovente ouvir tantas vozes declarando em uma Praça pública de Copacabana: Posso confiar! Posso confiar! Tudo está em Tuas Mãos Senhor.  Como posso ainda me abalar se minha vida se minha vida em Ti está?

Naquele momento, Arlene e Olívia declaram: “Esta praça é território de Deus e nunca mais será a mesma”. Cristiano completou: “Estende a suas mãos na direção dos apartamentos e vamos declarar Jesus Senhor de Copacabana, de cada família que mora aqui” .

Na última canção, os vocalistas da Banda, Olívia, Arlene, Andréia e Cristiano deram as mãos e convidaram o público a fazer o mesmo cantando: Eu sou maravilha aos olhos de Deus. Criatura vinda da mente perfeita de Deus, sou eu, é você, somos nós. Quando a música terminou Olívia clamou: “Agora aplaude esta maravilha que está ao seu lado”, Todos aplaudiram inclusive na direção dos apartamentos. No final, Padre Julio que coordenou toda a festa e Pe André Rodrigues deram a bênção sobre todos.

Somos muito gratos a Deus e aos sacerdotes que nos acolheram, pois destes 100 anos da Paróquia Nossa Senhora de Copacabana, estamos há 30 anos aqui onde é a nossa sede e onde desenvolvemos nossa missão, presenciando as maravilhas que Jesus tem realizado nas vidas, nas famílias e em tantos corações. Por isso, agradecemos à Mãe de Jesus com as palavras que o Senhor inspirou ao coração da fundadora da Comunidade Bom Pastor, Doris, para esta celebração: Obrigada, amada Nossa Senhora de Copacabana - Virgem Imaculada e Assunta aos Céus - por estarmos nesta bela Paróquia sob a sua proteção. Por nos guiar com seu doce amor nesses trinta anos, nos quais, o Bom Pastor nos incluiu no centenário que hoje celebramos na alegria do Espírito Santo.  Amém.


RETIRO: CONHECENDO JESUS PELOS OLHOS DE PAULO


Para conhecer e viver toda riqueza deste Ano Paulino, a Comunidade Bom Pastor realizou em sua sede, nos dias 2 e 3 de agosto um retiro com o tema: Conhecer Jesus pelos olhos de São Paulo. Carmem, Pe Ramom, Pe Sergio Muniz e Frei Eliaz.  O retiro nos deu a oportunidade de conhecer e de nos deixarmos ser conhecidos por Jesus assim como Paulo fez.

Carmem nos falou, na primeira palestra, que Saulo era um homem que recalcitrava contra do chamado de Deus. Alguém que acreditando conhecê-LO, afastava-se dos Seus desígnios. Apesar disso, Deus tinha seu olhar amoroso voltado para ele. E convicto de suas decisões, no auge do seu compromisso em defender a fé judaica, Saulo se vê em uma experiência completamente desconcertante (At 9,1-9).

E este foi o encontro de um homem que reagindo contra a vontade de Deus em sua vida, pôde deixar cair todas as escamas que o impediam de enxergar o verdadeiro Deus. Ele entendeu que Deus é Amor e que quer intimidade. E agora conduzido pelo Espírito, este novo homem, chamado Paulo, será um grande colaborador nos planos de Deus (At 9,15). Seu caráter, sua determinação e força serão agora utilizados em sua missão, que não cessará de ser para ele o motivo de sua existência, pois para ele somente Cristo lhe bastava. Finalizando esta palestra a Carmem nos ajudou a irmos ao encontro de Jesus, para que, assim, como fez Paulo, encontrando-o não o deixemos mais. 

Saulo depois de seu encontro com Jesus não é mais o mesmo. Ele vive uma nova vida. E foi sobre esta nova vida que o Padre Ramon nos falou. Para ele a nossa vida é formada como um mosaico, que ao longo de nossa existência vai se transformando na imagem de Cristo. Iniciando esta mudança a partir de dentro, retirando tudo o que não nos convém (Ef 4,17), em um caminho de intimidade com o Senhor. Deixando o homem velho dominado pelo pecado, para assumir a liberdade dos filhos de Deus. Como Paulo, quem encontrou o tesouro encontrou a vida nova, e quem vive esta vida nova, muda o seu critério e até sua visão de mundo.

Pela fé, Paulo percebe a plenitude da liberdade. Ele saiu da tirania do passageiro para a plenitude. Porque foi aos poucos se configurando a Cristo, derrubando o velho homem, renunciando ao pecado (Rm 13,11-14) e protegido com a armadura de Deus (Ef 6,11). Paulo, com um temperamento difícil, se abriu a vida nova, deixando-se revestir de Cristo. E, assim como Paulo, somos chamados a assumir a vida nova em Cristo, a viver a própria vida de Jesus Cristo.

Deus se utilizou de tudo o que era a pessoa de Paulo, nos falou o Padre Sérgio Muniz. Paulo era um homem de forte temperamento, de convictas decisões e depois do seu encontro com Jesus, adquire uma nova postura diante da vida. O que fazia com paixão, como um judeu fervoroso que perseguia os cristãos, tornou-se um fervoroso e apaixonado seguidor de Jesus. 

O cristão, mais uma vez nos faz lembrar a Carmem, adquire uma nova vida e um novo nome por causa de um novo nascimento - uma vida enraizada e sustentada em Cristo (Col 2,6). Dele vem tudo o que precisa o cristão para ser a nova criatura que tem uma vida interior - uma vida que se mantém na intimidade com o Senhor. E outra exterior - vida que se manifesta no convívio com os irmãos interior. Em todas as circunstâncias Paulo era movido pelo Espírito Santo imitando Jesus, procurando ser um novo Cristo na terra. E finalizando esta palestra oramos com 1Ts 5,16-21, deixando com que estas palavras assumissem  na nossa uma linda harmonia com a vontade do Senhor.

E antes da Celebração Eucarística tivemos a alegria de ouvir alguns testemunhos. Ficou muito forte em quem partilhou, a paixão que teve Paulo pelo Senhor e como isso é um convite para que os cristãos também se deixem consumir por este amor, assim como uma vela se consome no altar.

 



JUNHO/2008

Experiência de Oração

A Comunidade viveu um final de semana pleno do Amor do Pai, da presença Amorosa de Jesus e do poder do Espírito Santo na Experiência de Oração que aconteceu nos dias 13, 14 e 15 de junho, concluindo as nove semanas do Seminário de Vida no Espírito Santo.


As palestras foram ministradas pelo do Pe Alan, de Niterói; pelo Pe Dudu, consagrado da nossa Comunidade e Pároco em Rio Bonito-RJ e por nossos irmãos Marlene, Laura, Carmem, Bruna, Sonia Nonato e Nilton. A Missa final em que todos foram mergulhados no Espírito Santo foi celebrada pelo Pe Ramon.

Pe Alan deu exemplos simples para nos ajudar a compreender o mistério da Santíssima Trindade. “Em uma casa temos o Arquiteto: o Pai e criador é Aquele que construiu a moradia. Temos Aquele que comprou a casa: Jesus nos comprou com o Seu Sangue na Cruz. E temos Aquele que mora: o Espírito Santo que habita nossa alma”.

Pe Dudu nos explicou que para cada nova missão, o Espírito de Deus nos dá a sua unção pois Ele é o Pedagogo de Deus, Aquele que nos ensina todas as coisas (Jo 14,26). Ele orou pedindo que cada respiro em nossa vida seja um clamor ao Espírito Santo pedindo que Ele nos conduza no falar, no pensar, no agir, nas decisões e em todas as coisas.

Marlene partilhou sobre as Condições para receber o Batismo no Espírito Santo tocando profundamente os corações especialmente ao dar seu o testemunho vivo e real da ação do Espírito de Deus em sua vida e em sua família.

Ao falar sobre os Dons do Espírito Santo, como está em I Cor 12, 1-10, Laura Beatriz deu exemplos bíblicos e da vida prática para cada carisma e a importância de exercitá-los para o bem de todos.

No domingo, Carmem ministrou sobre os Frutos do Espírito Santo. Entendemos que somos “árvores plantadas na margem das águas correntes, que dão frutos na época própria, e sua folhagem não murcha jamais” Sl 1,3.

A jovem Bruna falou sobre a Vida no Espírito com Maria. Ela nos mostrou como a idade não é empecilho algum para que Deus possa agir nas pessoas. Nem nas mais jovens, como foi com a Mãe de Jesus, nem mesmo com as pessoas de mais idade, como Isabel, aquela que concebeu em sua velhice um filho (Lc 1,36).


Na última palestra - Falsas Doutrinas - Sônia Nonato comunica o que a Palavra de Deus e da Igreja dizem em relação a outras religiões e ao ocultismo. Encerrando o tema, Nilton nos contou sua experiência com o candomblé e como Deus resgatou sua vida. Suas palavras nos levaram a pensar no imenso amor de Deus que não cansa em nos querer em seu rebanho.

No dia 18 de junho, todos os participantes do Seminário se reuniram na Comunidade para dizer o que foi vivido naquele período. Presenciamos o poder de Deus sobre tantas vidas e situações diversas. Vivemos uma noite empolgante ouvindo os testemunhos. Cada um mais forte do que o outro: curas físicas e emocionais, libertação de depressão, reconciliação familiar, volta para Deus e para a Igreja, vidas transformadas e renovadas e agora, vividas na força do Espírito Santo e na comunhão como os irmãos. Aleluia!

Primeira Missa do Pe Felipe e 80 anos da Doris

O céu se fez presente aqui! Assim foi primeira Missa celebrada pelo Pe Felipe Lima na Paróquia N S de Copacabana no dia 02 de junho de 2008. O amor de Deus transbordou sobre os corações das mais de mil pessoas presentes. A Missa foi concelebrada por mais 12 sacerdotes em ação de graças pelo neo-sacerdote e pelos 80 anos da Doris, fundadora da Comunidade Bom Pastor.

Na homilia, Padre Antonio José contou que, um dia, ao visitar uma criança doente de 4 anos, ouviu dela uma série de perguntas. No final, o menino disse: “Padre, a sua casa é a Missa”. Nesta hora, ele se voltou para o neo-sacerdote dizendo para ele: “Padre Felipe, sua casa é a Missa. Seu lugar é o sob a Sombra dos Braços de Deus, sob o esconderijo do Altíssimo”.

No final da homilia, a pedido do Pe Antonio, Doris fez uma oração pelo Pe Felipe clamando: “Nós vos louvamos, Senhor, porque é uma alegria profunda do nosso coração participar desse mistério. Muito obrigada porque o Padre Felipe chegou à Comunidade Bom Pastor, unindo-se como irmão, na sua humildade, com a sua presença ao mesmo tempo sábia e humilde, serena, com sua palavra profunda chegando até as profundezas de nosso ser. Um menino de 20 pouquinhos anos falando de Deus de uma forma tão intensa, tão real. Com o selo do ministério sacerdotal que está sobre ele agora, cremos que as almas irão arder quando o ouvirem falar. Nós vos louvamos e o bendizemos Senhor pela unção do seu sacerdócio e pela certeza de que cada palavra, cada ato, cada presença do Padre Felipe, será a Tua palavra, Teu ato, Tua presença. Muito obrigada, Senhor Jesus! Louvado seja o vosso Nome Santíssimo. Que ele seja sempre guardado pelo Senhor, sempre protegido pelo Senhor. E sempre envolvido pelas mãos de Maria, por ela, a Mãe de Jesus, que tem um zelo tão grande pelos filhos. Derramai vosso Espírito, Senhor, nas profundezas desse amado padre. Que a sua vida seja uma presença viva do Espírito no meio de nós. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo! Amém!”

Na ação de graças, o neo-sacerdote agradeceu comovido esta graça tão imensa de Deus em lhe conceder o dom do sacerdócio e a providência em celebrar sua primeira Missa na Comunidade pela intenção dos 80 anos da Doris, “80 anos de uma vida cheia do Espírito Santo, vida consagrada a Deus e aos irmãos”, como afirmou.

Agora, pelo infinito amor de Deus, a Comunidade Bom Pastor conta com cinco sacerdotes: Pe Antonio José, Pe Dudu, Pe Gustavo, Pe Gleuson e o neo-sacerdote, Pe Felipe. Nossos corações transbordam de gratidão e alegria por ver o Pe Felipe celebrando sua primeira missa conosco e, ao mesmo tempo, celebrando os 80 anos da nossa fundadora. É muita graça! É muito amor! Toda a Glória ao nosso Deus Bom Pastor “que faz infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou entendemos” (Ef 3,20). Aleluia!


MAIO 2008

“Vigília Ecumênica de Pentecoste”

Um derramamento do Espírito Santo em cada noite! Foi o que experimentaram todos aqueles que participaram da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, que a Comunidade Bom Pastor realizou, do dia 04 a 10 de maio, na Paróquia N S de Copacabana, das 20h às 23horas.

A cada encontro, um sacerdote acolhia o convidado evangélico para ministrar a Palavra. Várias igrejas cristãs enviaram representantes como a Presbiteriana Unida, Anglicana, Luterana, Batista, Sara Nossa Terra, Presbiteriana do Brasil, Congregacional e Assembléia de Deus.

Neste ano, o apelo da Semana da Unidade teve, como tema escolhido, o versículo 17 da I Tessalonicenses - “orai sem cessar” - com o fim de apontar o papel essencial da oração na vida da comunidade dos fiéis. A semana se encerrou com o Culto Ecumênico, na solene Vésperas de Pentecostes, no dia 10 de maio.

No Culto que, foi presidido por Dom Wilson Tadeu Jönck, Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio, esteve presente também o representante da Igreja Ortodoxa, Padre Marcelo, além de todos os outros que participaram da Semana de Oração. O coral do Seminário São José da Arquidiocese do Rio de Janeiro apresentou-se com cânticos próprios do Culto Ecumênico e o grupo jovem da Comunidade Bom Pastor fez uma pequena apresentação de teatro e dança recordando a todos o que aconteceu no dia de Pentecostes. Após o culto, a vigília continuou até às 6 da manhã.






Banda Bom Pastor

Coral Seminário São José

Assembléia

Clique aqui para ver mais fotos

 

Retiro Ecumênico: “Orai sem cessar”

Um bispo pentecostal americano, um reverendo anglicano da Inglaterra e um padre italiano foram os pregadores do retiro ecumênico que aconteceu no dia 3 de maio, na sede da Comunidade Bom Pastor. Além do grande número de irmãos da Comunidade, de outras Comunidades, recebemos também vários irmãos e irmãs de igrejas evangélicas, todos unidos em um só coração e em uma só alma.


Bispo Alan Fonseca / Estados Unidos
Igreja Episcopal Não-Denominacional

Rev. Anthony Palmer / Inglaterra
Igreja Anglicana

Pe. Carlo Colonna – Itália
Igreja Católica/Com di Gesù

Depois do louvor, levando-nos a viver intensamente a Presença de Deus, o Padre Carlo Colonna, jesuíta e diretor espiritual da Comunidade de Jesus, na Itália, pregou sobre o sentido verdadeiro da oração: “Orar sem cessar ".


Ele explicou que esse estado de oração não significa permanecer falando com Deus o tempo todo. É estar em contato com o Ele em cada atividade, trabalho. Sentindo-nos em comunhão em qualquer situação, vendo Deus presente em tudo. Viver assim é "orar sem cessar", o que nos leva a repousar no Senhor. "É Ver a Deus...”, disse o Padre Carlo.

Em seguida o Bispo Alan Fonseca, da Califórnia, Estados Unidos, conduz uma reflexão sobre o tema: "o que estamos fazendo com o tempo que o Senhor nos dá". “Todos os dias investimos uma porção do nosso tempo aqui na Terra preocupados com nossos próprios afazeres. Mas esta é a vontade de Deus ou a é a nossa vontade? Devemos investir nosso tempo para o Reino de Deus”, nos falou o Bispo. Terminamos com uma oração de compromisso na construção do Reino de Deus aqui e agora onde vivemos.

Após o almoço, o reverendo Anthony Palmer, da Igreja Anglicana e fundador de uma Comunidade Ecumênica na Inglaterra abordou os temas: "Transformai-vos" e "Precisamos uns dos outros". E completou: “Esta é a mensagem de Deus para vocês, que suas orações possam ser orações de transformação, porque a transformação do mundo começa por nós. Eu me transformo naquilo ou naquele que me ama. Somos frutos daqueles que nos amam. A Igreja católica mudou a minha vida, porque vocês me amaram e dividiram sua vida sacramental comigo. Com quem queremos parecer?”

Foram muitos os momentos de profunda oração e adoração ao nosso Deus.






O retiro terminou com um grande louvor e a bênção dirigida ao povo pelos ministros presentes. Todos sentindo o Espírito Santo derramando as bênçãos da unidade. Tornando-nos um no amor do Senhor - um com Ele e entre nós! Vivemos como "um só rebanho e um só Pastor". Aleluia!

 

ABRIL 2008

Retiro: “Fica conosco, Senhor”

“Fica Conosco, Senhor!” Era o que clamavam os irmãos e irmãs nos dias 18, 19 e 20 de abril na sede da Comunidade. Aquela Palavra do Evangelho de São Lucas 24, 13 foi a inspiração de Deus para o retiro, que teve a presença de Dom Edney, Pe. Dudu, Pe. Willian, Pe. Gustavo, Pe. Gleuson e Pe. Geovane.

Abrindo nosso encontro, Pe Dudu, durante a celebração da Santa Missa, nos alertava sobre não enxergar Jesus ao nosso lado. “Muitos sofrem de catarata espiritual, e não conseguem ver Jesus ao lado, caminhando junto”, disse o Padre.

Dom Edney nos falava sobre como é fácil dar as costas para Deus. Assim como os discípulos, nas nossas noites escuras da alma, corremos o risco de deixarmos Jerusalém, que é a promessa de Jesus, e voltamos para Emaús, que é a nossa vidinha medíocre, como disse ele. Pe. Willian completou: “eles saem de Jerusalém porque estão derrotados, desacreditados. Para eles tudo acabou, não há mais esperança.”

“Quantas vezes já vivemos uma aparente derrota?”, nos indagou Pe. Gleuson. Jesus fez o caminho com eles para que eles acreditassem, e assim Ele caminha conosco. A cada Missa, a passagem dos discípulos de Emaús é repetida. “A missa é feita em duas partes: Celebração da Palavra e Celebração Eucarística”, nos lembrou o sacerdote. E foi isso que Jesus fez. Ele relembrou a Sagrada Escritura com eles no caminho, e depois partiu o Pão.

Pe. Gustavo nos levou a experimentar na prática essa partilha do pão. Ele distribuiu pães entre os irmãos, para que fossem partilhados uns com os outros. “Partilhe o Pão e diga: 'Eu quero caminhar contigo', assumindo a condição do outro”, nos disse Pe. Gustavo. E assim foi feito. Num momento glorioso de partilha, amor e compromisso. Nem um dos irmãos presentes se serviu primeiro. Todos partiram o pão, deram ao irmão e cearam juntos.

A missa de encerramento foi celebrada pelo Pe. Geovane, que nos mostrou a relação do evangelho de Emaús com a nossa vida em comunidade. “Todo abrasar do coração não pode parar em mim. E quando o ser humano experimenta esse abrasar, a vontade é de sair ao encontro do irmão. Isso é ser comunidade: Aprender a doar-se todos os dias”, disse ele. E completou, “Ah, se entrássemos no mais íntimo, de Deus, e permitíssemos que Ele entre no mais íntimo de nós mesmos!”

 

MARÇO 2008

Auto da Paixão, morte e ressurreição de Jesus

Para celebrar com arte a Semana Santa, os jovens da Comunidade apresentaram um musical sobre a PaiXão, morte e ressurreição de Jesus, no dia 17 de março, nos Grupos da Tarde e da Noite. Mais de 20 pessoas, entre adultos, jovens e crianças atuaram no espetáculo que teve dança e músicas de vários estilos.

A peça, que começa com Jesus no Horto das Oliveiras, mostra como o amor de Jesus por cada ser humano supera qualquer declaração de amor, mesmo de marido, pai, namorado e família. Um dos pontos altos apresentava Jesus vencendo o maligno e tomando as chaves da morte.


Homenagem ao Padre Valter

Após 15 anos de trabalho dedicado como assistente paroquial da Comunidade Bom Pastor, Pe Valter se despediu por se sentir muito cansado. Somos muito gratos a Deus por este sacerdote que nos acompanhou por tanto tempo, nos ajudando nos diversos serviços como os Grupos de Oração, retiros e especialmente nas vigílias. Para agradecer concretamente, fizemos uma pequena homenagem reunindo os irmãos do Conselho e da Equipe da Tarde, no dia 15 de março, sábado, oferecendo a ele a nossa gratidão através de um lanche fraterno. Foi uma tarde de alegria e gratidão expressa a este querido servo de Deus.

Em seu lugar, Monsenhor Abílio designou o Pe Eluir que agora nos acompanha.


Retiro Gratidão

“A gratidão abre as comportas do céu” foi o tema do nosso retiro de março que aconteceu nos dias 8 e 9, na sede da Comunidade. Os pregadores que nos ajudaram a receber um coração grato foram Pe Gleuson, da Paróquia Sangue de Cristo; Pe Nelson, da Paróquia Sto Afonso; Carmem e Laura da nossa Comunidade.

Um dos momentos fortes, sábado pela manhã quando estávamos em oração. ao contemplar o olhar de Jesus para Simão Cirineu, o homem que O ajudou a carregar a Cruz, nós também identificamos, inclusive no próprio salão onde acontecia o retiro, pessoas que nos ajudaram em momentos difíceis. Saímos do lugar para abraçar e agradecer concretamente a muitos irmãos e irmãs.

Carmem falou sobre o coração agradecido. “Sede agradecidos (Col 3,15). Com essas palavras, São Paulo nos ensina uma importante atitude a tomar diante de Deus. O Espírito Santo, Aquele que nos recorda todas as coisas de Deus, há de nos lembrar todas as bênçãos recebidas. A gratidão é a expressão natural de um coração convertido. O texto bíblico chave do retiro, o Benedictus, Lucas 1, 68-79, nos ensina a apresentar a Deus os motivos de louvá-LO.

Pe Gleuson abriu a palestra com o texto do leproso curado que volta a Jesus só para agradecer como está (cf Lucas 17,11-19). “Como ele nós também podemos dizer - Senhor, eu voltei só para Te agradecer. A gratidão é fruto de uma maturidade espiritual. A ingratidão é ato de imaturidade. Um coração ingrato é um insatisfeito. Se você não foi capaz de agradecer às pessoas que contribuíram para a sua vida a obra ainda não foi completa. Quem hoje é expressão do cuidado de Deus na sua vida? Vamos agradecer ao Senhor por cada uma dela!

Laura lembrou 3 poderosas orações de louvor: os jovens na fornalha Daniel 3,23-90; Daniel na cova dos leões, Daniel 6,22 e também Paulo e Silas na prisão, Atos 16, 23-26.

“Gratidão não é um sentimento, é uma atitude de vida, é uma postura diante de Deus, das pessoas e do mundo!”, declarou Pe Nelson causando grande impacto em muitos de nós. “Há uma palavra forte que vem dos nossos fundadores redentoristas que aprendemos desde a nossa formação que é memória agradecida. Isto é, olhar a vida, o mundo e a realidade com os olhos de quem se sente amado por Deus. Ou eu sou grato diante da vida ou não sou. A palavra de Deus é verdadeira. O Senhor é meu pastor e nada me faltará mesmo. Então, se Deus está comigo, estou pronto para enfrentar seja o que for. Ao orar, a primeira palavra que deveria sair dos meus lábios é obrigado Senhor”.

A grande explosão de ação de graças aconteceu na Missa final celebrada pelo Pe Julio, da Paróquia N S de Copacabana.

 

FEVEREIRO 2008

Encontro Ecumênico Jovem

No dia 23 de fevereiro de 2008, tivemos o primeiro Encontro Ecumênico dos Jovens Cristãos na sede da Comunidade Bom Pastor-CBP. A iniciativa partiu do presidente do CONIC-Rio (Conselho Nacional das Igrejas Cristãs do Brasil), Pastor José Roberto, da Igreja Presbiteriana Unida.

Como é bom estarmos reunidos na presença do Senhor! O encontro reuniu o Grupo Jovem e o Ministério de Música da CBP e jovens da Igreja Presbiteriana Unida. Começamos com um grande louvor ao Senhor em um clima de fraternidade. A pedido do Pastor, cantamos Tudo é do Pai e outros cânticos da nossa Comunidade a fim de que os jovens evangélicos aprendessem.

O louvor foi fluindo com muita simplicidade experimentando a presença de Deus em todo o tempo. Um dos momentos mais fortes aconteceu quando cantamos a canção evangélica Consagração. Nossos corações transbordaram de gratidão e amor ao nosso Jesus amado. E o Seu amor foi derramado profusamente sobre nós, deixando um desejo grande de estarmos sempre mais próximos uns dos outros na certeza de que é Ele que nos quer unidos.


Após o louvor, o pastor passou a palavra para a Maria do Socorro, que faz parte da equipe responsável pelo ecumenismo na Comunidade. Ela partilhou a leitura de Rom 15,5: “assim nós embora sejamos muitos, formamos um só corpo em Cristo, e cada um de nós é membro um do outro”.

O Pastor José Roberto disse que, desde o momento em que foi eleito e assumiu a presidência do CONIC, Deus havia suscitado em seu coração o desejo de promover encontros mais freqüentes entre os cristãos, e não apenas na Semana da Unidade que antecede a Festa de Pentecostes. Para isso, ele pediu que os jovens pudessem apontar idéias que ajudassem a realização deste sonho de Deus.



Foram muitas! Estávamos tão felizes que logo pedimos para marcar um novo encontro que será dia 05 de abril de 2008. Também não faltaram convites de ambas as partes para nos encontrarmos novamente. No final, Padre Júlio César acolheu a todos em nome da Igreja.

Foi lindo! Todos os presentes entenderam que não é difícil viver o ecumenismo. Basta haver respeito entre nós que o amor de Deus flui. Sentimos a mão de Deus sobre nós, nos abençoando o tempo todo e um clamor do Seu Coração: não cesse de buscar essa unidade pois o mundo tem sede dela.

 

Seminário “Cura pelo Perdão”

Quase 500 pessoas participaram do primeiro dia do Seminário de Perdão que a Comunidade Bom Pastor está realizando durante a quaresma, nas 4ªs feiras, às 20h, em sua sede. O Seminário foi aberto pelo Padre Antonio José, no dia 20 de fevereiro, com o tema "O Plano de Deus é Perdoar".

“A primeira lição que aprendemos quando conhecemos Jesus é que temos lá no céu um Pai que nos ama, me ama, e que vai continuar me amando mesmo que eu erre muito. Um Pai que está de braços abertos sempre, com o coração batendo por mim, que me perdoa e me aceita de volta. Quem ainda não aprendeu esta lição fundamental, não consegue aprender as outras. Quem aprende esta lição é capaz de aprender todas as outras. Quando experimentamos o que é se sentir amado teimosamente pelo Pai do céu, e vemos este amor de Deus tomar conta do coração da gente até transbordar, nós passamos a aprender a perdoar também. Guardar uma mágoa como se fosse um tesouro é tornar toda a vida devedora de algo que não deu certo mas que pode ser transformado. Todos nós precisamos abençoar a vida dos outros com o nosso perdão. Mas para isso precisamos pedir a Deus um coração generoso”.

Padre Antonio deixou claro que o plano de Deus é que todos aqueles que crêem em Jesus, sejam instrumentos deste amor que cura e que perdoa aqui na Terra. “É este amor que as nossas famílias precisam. Um amor que Jesus tem por nós. Jesus me concedeu o direito de ser salvo. Eu tenho direito de ser perdoado mas o que liga este meu direito é que eu aprenda a perdoar também”.

No segundo dia, o pregador foi o Pe Cadu, da Arquidiocese de Niterói, que falou sobre o tema "Perdoar para ser perdoado". O Seminário continua nos dias 05 e 12 de março, respectivamente com Pe Gustavo e Dom Wilson Jönck. As pregações estão sendo gravadas em CD. Os interessados poderão adquirir na livraria da Comunidade.

 

Dia de Formação para os consagrados

No primeiro domingo da Quaresma, dia 10 de fevereiro, tivemos a graça de contar com Dom Wilson Jönck que ministrou um retiro de formação para os 120 servos comprometidos da Comunidade Bom Pastor. A partir da leitura do texto da conversão de São Paulo, Atos 9, 1-19, ele traçou o perfil de um consagrado. Dom Wilson se dirigiu a nós como um pai e como e um bom pastor. Suas palavras amorosas e firmes projetaram uma luz nova em nosso interior ajudando cada um a reavaliar sua caminhada de consagrado.

 

Para compreendermos melhor S Paulo, o bispo contou um pouco da história deste grande apóstolo que foi formado na cultura grega. Para entendermos, ele nos apresentou como era o ideal grego e suas virtudes: aprender a sofrer com serenidade, espírito público, bem comum acima do individual, saber que as pequenas coisas não devem tirar a nossa paz, magnânimo, inteligente, compreensivo, alguém que tem respostas, que orienta, que dá a mão, que honra, pessoa que faz o bem, honesto, respeitador, respeita também, que tem amigos, homem da concórdia, pessoa que busca ter posses mas não exageradamente, alguém que tenha uma riqueza pessoa razoável.

E o bispo esclarece: “Mas isso ainda não é o homem cristão. Por isso, após a sua conversão, Paulo diz que tudo isso é lixo, Fil 3,8. São Paulo apontou as características do homem cristão em I Cor 13. Não temos mais o direito de buscar apenas as coisas do homem grego e parar aí. A Comunidade Bom Pastor não foi criada para isso”.

Dom Wilson nos alertou que existe muito do homem grego em cada um de nós. “Embora todas sejam virtudes louváveis, não podemos nos alimentar só delas pois não são as virtudes do homem cristão. Este, S Paulo descreveu em I Cor 13. O cristão se ocupa em primeiro lugar com as coisas de Deus. Qualquer outra coisa diferente disso é traição. exemplo: está chovendo e tem retiro na Comunidade mas o colchão está me chamando. Para faltar aos compromissos da Comunidade, só em caso de morte. Pois é o seu sim, a sua presença constante que vai ajudar ao outro. Quando começamos a relaxar e faltar pelo menor motivo, o homem cristão vai definhando. Se existe abandono, somos nós, pois Deus jamais nos abandona”.

Ao comentar sobre o serviço que prestamos, o bispo alertou: “o Rafael toca muitíssimo bem mas se no som do teclado do Rafael não sair testemunho da presença do Espírito Santo, ele pode até ser admirado por muitos, mas Jesus não será anunciado. Para isso, é preciso um testemunho de fé. O nosso trabalho não pode ser obra apenas do homem grego! Temos a tendência de parar no ideal grego. O homem cristão deve aprender a humilhar-se, a confiar em Deus e oferecer nossos corpos como hóstia viva (Rom 12,1). Cuidado ! O mundo sempre tentará nos comprar. Nós vivemos no mundo mas não somos do mundo" !

Dom Wilson leu uma parte do histórico da Comunidade lembrando que na primeira reunião, no dia 1º de dezembro de 1975, eram apenas um casal e 4 jovens. “Aquele primeiro chamado de Deus foi cultivado, por isso hoje a Comunidade está deste tamanho. Não podemos cruzar os braços nem vir às reuniões como obrigação. Mesmo em meio a contradições e incoerências, e até mesmo que aconteçam injustiças na Comunidade”.

Quando nos afastamos da Comunidade por motivos menores, voltamos a não enxergar, como Paulo ficou antes de receber a oração de Ananias. Quando nos consagramos, colocamos Jesus em 1º lugar. Consagrar-se é dizer a Cristo: pode contar conosco. E nenhuma situação na nossa vida pode nos fazer pensar diferente, nem doença, nem incompreensão. Nada, nem perseguição. A certeza de que o mundo precisa de Cristo é maior do que todas as coisas. O mundo espera uma resposta nossa. A criação aguarda ansiosamente pela manifestação dos filhos de Deus, Rom 8,19. E, hoje na situação em que o Rio de Janeiro está, somos chamados a testemunhar Cristo.

À tarde, o bispo refletiu sobre o capítulo - as tentações de Jesus - do livro do Papa Bento XVI, Jesus de Nazaré. No final, Dom Wilson celebrou a Missa dominical encerrando o dia abençoado para nossa Comunidade.

Retiro de Carnaval

Mais de 300 pessoas em cada dia participaram do retiro de carnaval da Paróquia N S de Copacabana que foi realizado pela Comunidade Bom Pastor nos dias 04 e 05 de fevereiro, no 9º andar do prédio anexo à Igreja. Irmãos e irmãs de Paróquias de todos os cantos da cidade, de outros municípios, moradores em outros estados de férias no Rio, inclusive uma pessoa de Roma, além da grande quantidade de paroquianos de Copacabana vieram.

 

Sereis batizados no Espírito Santo foi o tema do encontro que teve como pregadores convidados Pe Ramom, da Paróquia N S da Paz e Pe Cadú, da Arquidiocese de Niterói, além da Carmem, Alzirinha e Laura. O retiro nos levou a conhecer um pouco mais o infinito Amor de Deus; a natureza do pecado e a maravilhosa salvação que Jesus nos dá; a autoridade e o poder de Jesus sobre todos e sobre tudo;

O perdão como uma experiência de vida, tanto o perdão que recebemos de Deus como também o que damos quando somos ofendidos; a Pessoa do Espírito Santo; o Batismo no Espírito Santo e os Frutos que o Espírito Santo gera em cada coração que se abre para Ele.

No último dia, até o hall dos elevadores ficou tomado de gente que chegava cedo e só saía no final. Não deu para ter dúvida: o povo está com sede de Deus. Agradecemos ao Monsenhor Abílio que confia à Comunidade Bom Pastor a missão de realizar este retiro que, a cada ano, atrai um número maior de pessoas em pleno carnaval de Copacabana.

JANEIRO 2008

Encontro de dois fundadores de Comunidades



Mons. Jonas, fundador da Canção Nova (CN), acolheu no dia 15 de janeiro de 2008, alguns irmãos da Comunidade Bom Pastor (CBP), da Comunidade de Jesus e da Comunidade Coração Novo.

Na foto acima, da esquerda para a direita: Pe Antonio Jose (CBP), Clélia da Comunidade de Jesus (CJ), Olívia (CBP), Doris fundadora da CBP, Mons Jonas (CN), Iete (CBP), Ângela De Bellis (Coordenadora da CJ/Brasil), Flávio (CJ) e Nilton (CBP). Também estavam presentes, Isaías, fundador da Comunidade Coração Novo, Luiz Felipe (CJ) e esposa.

Segundo Iete, que estava presente, foi muito emocionante o abraço amigo que Mons. Jonas deu em Doris, após 15 anos sem se verem. “Foi uma grande graça ver dois fundadores de Comunidades dos primeiros tempos da Renovação Carismática do país juntos novamente". Doris diz ter voltado encantada e agradecida a Deus diante da magnífica obra que é a Canção Nova. "Obra de Deus construída pelas mãos incansáveis do seu servo e guerreiro fiel: Monsenhor Jonas".


Iete disse: "Foi belo demais ver o encontro dos dois"!

Nascemos para ser uma bênção !

Este foi o tema do primeiro retiro do ano que aconteceu nos dias 12 e 13 de janeiro de 2008, na sede da Comunidade atraindo mais de 200 pessoas, apesar do calor.

Carmem nos mostrou como Deus, em todas as suas ações, desde a criação passando pelos profetas, tem apenas um desejo: nos abençoar. Pe Gleuson nos mostrou que a bênção nunca é apenas para uma só pessoa.“Quando Deus derrama seus favores, mesmo que sejam pessoais, estas graças sempre alcançam muitos e muitos outros. O ponto de partida da bênção é a decisão do coração, o instante em que o homem toma a decisão de ouvir a voz de Deus e permanecer unido a Ele. Muitas vezes, começamos bem mas no meio do caminho saímos debaixo da Mão de Deus e aí perdemos a bênção. A bênção não é passe de mágica. A bênção nos reúne, nos congrega. Quando uma pessoa serve a Deus, todas a sua casa permanece sob a proteção do Senhor”.

Pe Allan disse: “Do coração ferido do pastor, brota a misericórdia. Da experiência da dor brota a bênção. Quando eu recebo a bênção, eu me torno o próprio Cristo”. Pe Leandro nos ensinou que a bênção na Igreja é sempre constituída de 3 elementos: a mão estendida; o sinal da cruz e as palavras em Nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo.

 

“À medida que eu passo tempo com Jesus, vou me tornando bênção. Às vezes começamos bem mas diante das tribulações, desistimos de ser bênção. O Espírito Santo nos dará força para não permitirmos que outros nos impeçam de ser bênção. Ser bênção é exalar Deus atraindo outros e outros ao Senhor”, falou o Diácono Felipe Lima.

Pe Antonio José explicou: “há um rio de bênçãos que teve início na criação, passando por Abraão, pelos profetas e se transformou em um imenso mar de bênçãos na Cruz. Jesus foi para a cruz abençoando e foi para abençoar. Existe um lugar único onde aprendemos ir para cruz abençoando: a celebração da Eucaristia dominical. Participar da Eucaristia é mergulhar naquele mar de graças que enche a vida do ser humano desde o paraíso e agora nos alcança. Deus nos abençoa para aprendermos a ser abençoadores”.

“A sua maior dignidade está no fato de ser templo do Espírito Santo”, disse Pe Valdir na homilia da Missa que encerrou o encontro. As palestras foram gravadas e estão à disposição dos interessados na livraria da Comunidade.

TOPO

"A fé é o fundamento da esperança". (Heb 11,1)