NOVEMBRO 2009

Encontro de Sacerdotes

Nossa Comunidade, junto com a Fraternidade Sacerdotal do Cenáculo e com o Seminário Arquidiocesano São José a promoverem, no último dia 20 de novembro, um Encontro de Sacerdotes, na sede da Comunidade, em Copacabana. O tema foi o mesmo do Ano Sacerdotal: “Fidelidade de Cristo, Fidelidade do Sacerdote”.  O dia de reflexão foi ministrado e dirigido por Dom Alberto Taveira, Arcebispo de Palmas-TO.

O encontro contou com 45 padres, 2 diáconos provisórios e 4 seminaristas. Padres bem jovens com 4 meses de ordenados até alguns com mais de 50 anos de vida sacerdotal. Padres vindos de outras Comunidades, como o Padre Vagner, da Canção Nova, e de outras Dioceses como Campos, Vassouras, Rio Bonito, Niterói, Volta Redonda, e até do estado de Minas Gerais, além dos sacerdotes da Arquidiocese do Rio, tanto os diocesanos como também jesuítas, beneditinos e barbabitas. Alguns deles, estavam presentes apoiando os primeiros momentos da Renovação Carismática no Rio de Janeiro, como Dom Cipriano Chagas, beneditino e fundador da Comunidade Emanuel; Mons. José Maria Vasconcelos, hoje Capelão do Convento das Carmelitas; o Monsenhor Elia Volpi, Pároco da Candelária e o Pe Javier Enciso, do Colégio Santo Inácio. Outros mais jovens ocupam funções de responsabilidade no clero como o Reitor do Seminário Arquidiocesano de Niterói, Pe Allan Chagas;  o Reitor do Seminário Propedêutico Rainha dos Apóstolos, Pe Francisco Ribeiro e o Prefeito da Teologia do Seminário Arquidiocesano São José, Pe Leandro Câmara. Dom Wilson Jöck, Bispo Auxiliar de Rio de Janeiro, encerrou o Encontro com sua bênção.

Segundo o testemunho de alguns sacerdotes, “aquele dia foi um momento em que se sentiram profundamente honrados com a acolhida, com os materiais que foram preparados e distribuídos, e que a palavra que vinha aos seus corações era que a Comunidade Bom Pastor estava vivendo “o zelo pela minha casa me consome” – referindo-se a casa, templo que é o sacerdote.

 “Nós somos responsáveis pela santificação do povo”

Na homilia, Dom Alberto disse: “Nós nos deparamos com pessoas que querem ser santas, que querem uma vida de virtude, que querem sair do rodapé, que querem sair da mediocridade, pessoas que se deixam purificar, pessoas que crescem, que assistem a nossa missão. Nós somos responsáveis pela santificação do povo. Queiramos fazer bem esse ofício. Participar, insistir. Vocês já pensaram que todos os dias nós abençoamos, nós consagramos, nós absolvemos. Apesar de nossa fraqueza e de nosso pecado, é importante que tenhamos a consciência de que Deus age através de cada sacerdote. Não é um faz de conta. É o irromper da graça. O acontecer da graça através destes instrumentos, quem sabe, limitados, mas escolhidos, marcados, ungidos pelo próprio Senhor. O que quero deixar no coração de todos nessa missa é a sacralidade de suas vidas. Por isso, a Escritura nos adverte: “não toqueis nos meus ungidos”.  O caminho, a gente sabe, buscar de novo a santidade. Já quebramos a cabeça demais achando que existem outras formas de evangelizar, que não seja esse caminho de dar Deus por Deus.

Para o Arcebispo de Palmas, o desafio diário é “fazer a experiência profunda de ir ao encontro das pessoas e  dizer: “eu não tenho ouro nem prata, mas o que tenho eu te dou”. Em nome de Jesus Cristo levanta, anda. É o mover da força e da graça que atua em nós. Dom Alberto concluiu com um convite: “Guarde o sacrário vivo que é você, que é o seu ministério. Tire as sandálias diante desta terra santa que é você. Reconheça que você é casa de Deus e porta do céu. Não deixe essa porta fechar. Os outros têm direito de chegar perto de você pois agimos em Persona Christi. Nós não somos iguaizinhos mas há uma marca profundíssima em nós que ninguém tira, ninguém raspa. Vamos renovar nossa resposta de fidelidade”.

-------- x --------

Renovação Consagração

Nosso retiro de renovação da consagração aconteceu no dia 29 de novembro, no Seminário São José. O pregador foi Monsenhor Elia, que começou o dia com as laudes. O tema da pregação foi Identidade do batizado e do consagrado. O sacerdote salientou a importância da auto identificação para agir como tal, ou seja, ser aquilo que pratica. Ele ainda enfatizou que os consagrados da Comunidade, à semelhança dos primeiros cristãos, precisam colocar a devoção pela Igreja acima de qualquer devoção pessoal. E lembrou a importância de orar sem cessar (Lc, 18, 1), numa atitude de sentir-se sempre com Deus.
Andréia, da Banda Bom Pastor assumiu pela primeira vez a consagração na Comunidade e Roseli e Maria José fizeram o aspirantado. 

-------- x --------

Missa dos 34 anos

Neste ano, o aniversário dos 34 anos caiu no dia 30 de novembro, festa do apóstolo santo André. A Missa em Ação de graças foi presidida por Dom Wilson Jönck e concelebrada por Pe Gustavo e Pe Gleuson.  

Na homilia, Dom Wilson disse: “Da mesma forma que Jesus chamou Pedro e André, chamou cada um de nós. Quando  Cristo entra na nossa casa, isso traz uma remexida em nossa  vida. Que cada consagrado, consagrada da Comunidade Bom Pastor, tenha o mesmo entusiasmo e a mesma pressa de anunciar Jesus para o Rio de Janeiro, como André correu para falar com Pedro, seu irmão”.  Na celebração 5 pessoas confirmaram seus votos: os Padres Gleuson e Gustavo, Gilda, Bernadete e o Seminarista Carlos Magno.

-------- x --------





OUTUBRO 2009

Retiro de jovens

“Homem e mulher os criou” foi o tema do retiro para jovens que aconteceu no dia 5 de setembro. Contamos com o jovem missionário Pe Arnaud, sacerdote francês da Comunidade Pontos Corações. 

Cerca de 85 jovens de varias localidades do Rio de Janeiro participaram tendo a alegria de experimentar a libertação que o Espírito de Deus opera em nós quando nos reunimos em Nome de Jesus buscando-O de todo coração. A inspiração do retiro foi baseada no livro de Gênesis. O sacerdote nos falou sobre o valor e as características preciosas do homem e da mulher. Nosso próximo encontro para jovens será no dia 14 de novembro. Não fique de fora !

-------- x --------

“Quero a misericórdia!”

Nos dias 12 e 13 de setembro tivemos um encontro com a Misericórdia! “Quero a misericórdia” foi o tema do nosso retiro que contou como pregadores com o Pe Antonio Aguiar, da Comunidade Anunciadores da Misericórdia, de Niterói; Pe Leandro Câmara, diretor espiritual do Seminário S José; Pe Sergio Muniz, da Paróquia S João Batista, em Botafogo; os seminarista Antonio José do último ano de Teologia e o nosso irmão consagrado na Comunidade, seminarista Gabriel Sena.

Tirar o bem de todas as formas de mal, verdadeiro significado da Misericórdia, foi o que nos mostrou o Pe Antonio Aguiar. Entendemos por suas palavras como desistimos com facilidade das pessoas, ao contrário de Deus que não nos se cansa de sempre nos dar sempre uma nova chance.

“O inimigo trabalha para que não nos suportemos uns aos outros. Viver a unidade é fazer com que os outros acreditem na misericórdia de Deus. Quem conhece a misericórdia tem gratidão no coração e quer retribuir. O Espírito Santo me impulsiona a transformar o mundo com atos de misericórdia”. Foi assim, com a mesma ternura do Pai misericordioso que o Pe Leandro Câmara ministrou sua palestra. 

Pe Sergio Muniz nos fez compreender que viver a misericórdia é viver em estado de conversão. “Guardar os mandamentos é um processo diário de conversão”, nos estimulou o sacerdote.

O Seminarista Antonio na sua palestra nos recordou as 14 obras de misericórdia, tanto as 7 espirituais como as 7 corporais, que a Igreja nos ensina. Gabriel, nosso irmão seminarista e consagrado na Comunidade falou sobre o Perdão, mais forte que o pecado.  “Junto à Nossa Senhora e a João, aos pés da Cruz, podemos entender o que é misericórdia”, nos conclamou o Gabriel. A Missa de encerramento foi celebrada pelo Pe Natal renovando nos corações dos participantes a experiência de receber e viver a misericórdia.

-------- x --------

“A Cura pela Palavra”

Para celebrar o mês da Bíblia, a Comunidade realizou o Seminário de Cura pela Palavra, na semana de 14 a 19 de setembro. Neste ano, diferente do que acontecia nos outros anos quando o Seminário acontecia uma vez por semana, durante o mês, optamos por fazer o evento em cinco dias corridos.  

Para abrir o Seminário, recebemos com gratidão e alegria, o Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio, D Antonio Augusto que falou sobre o tema a Palavra de Deus cura nossas almas. O versículo chave foi a resposta que Jesus deu ao leproso que pedia um milagre: “Eu quero, sê curado”, Mar 1,40-42.

Pe Geovane deu um forte testemunho de perdão familiar na segunda palestra sobre o poder da Palavra na cura dos relacionamentos.  Pe Roberto nos ajudou a entender como a Palavra  cura os (maus) pensamentos tendo por base o texto de II Cor 10,4: “Porque, ainda que vivamos na carne, não militamos segundo a carne. Não são carnais as armas com que lutamos. São poderosas, em Deus, capazes de arrasar fortificações. Nós aniquilamos todo raciocínio e todo orgulho que se levanta contra o conhecimento de Deus, e cativamos todo pensamento e o reduzimos à obediência a Cristo”.

“Jesus nos ensinou que é do interior do coração que procedem todos os males. É no coração que fazemos nossas escolhas. Tome uma decisão. Deixe a Palavra de Deus tomar o seu lugar”, nos encorajou Pe Gleuson na palestra sobre A Palavra nos livra do mal.

Pe Antonio José encerrou o Seminário nos fazendo experimentar como a Palavra nos enche com o Espírito Santo. “Quem quiser mergulhar no amor de Deus, precisa mergulhar na Palavra. A nossa vida tem uma direção e a Palavra de Deus é o combustível para agirmos”, nos animou o sacerdote.

Agradecemos a Deus a presença de Dom Antonio e de cada um dos quatro sacerdotes que generosamente partilharam conosco os frutos da Palavra de Deus em suas vidas iluminando nossos corações e promovendo um grande bem às nossas almas e por conseqüência às nossas famílias.

-------- x --------

Auto da Biblia

Para celebrar o mês da Bíblia, apresentamos na segunda–feira, dia 28/09, o Auto de São Paulo, que iniciou com a morte  de Estevão, o 1° mártir cristão.Tivemos no elenco   composto por jovens e adultos da Comunidade , quinze atores que fizeram duas apresentações , em nossos Grupos de Oração, à tarde e à noite, representando  com dedicação alguns passos da vida de Paulo.

O texto foi escrito pela Carmem Henriques, serva da Comunidade, e o Auto dirigido pelo amigo Bill Sala, que encenou São Paulo em sua idade avançada.

Duas  cenas com música  abrilhantaram  o auto  e trouxeram  muita emoção à assembleia: uma foi quando Paulo estava preso junto com seu amigo Silas e enquanto louvavam ao Senhor , aconteceu um grande terremoto que quebrou as correntes livrando a todos. A outra foi no encerramento da apresentação quando o elenco, com um  jogral, recitou Romanos 8,35-39, e logo após cantou uma canção exaltando o nome de Jesus.

Muitos irmãos foram tocados com a vida deste grande santo de Deus que cumpriu a carreira que lhe foi proposta, anunciando com ousadia e na força do Espírito Santo o “Amor de Deus que está em Cristo Jesus”, lutando contra todas as adversidades para um cristão de sua época.

Em cada cena, vimos as lutas que São Paulo enfrentava para anunciar o Evangelho e conquistar vidas para Jesus, passando de perseguidor a um  incansável anunciador da Palavra de Deus.





AGOSTO 2009

Dom Orani se encontra com a Comunidade Bom Pastor

O Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, esteve na Comunidade Bom Pastor no dia 22 de agosto, dia de reflexão para os consagrados, para falar sobre o Ano Sacerdotal e aproveitou para conhecer melhor a Comunidade, seus integrantes, carismas e os trabalhos que tem realizado.  Monsenhor Abílio Ferreira da Nova, Pároco de N S de Copacabana, onde a Comunidade tem a sua sede, acolheu o Arcebispo com alguns sacerdotes da Paróquia, os padres consagrados na Comunidade e a fundadora da Comunidade, Doris Hoyer de Carvalho. 

A presença do Arcebispo coroou o dia de retiro para os 120 membros consagrados da Comunidade. Pela manhã, o encontro foi aberto pelo Pe Eduardo Braga,  da Arquidiocese de Niterói e consagrado na Comunidade, que falou sobre  O nosso  caminho para o discipulado e missão. No segundo momento, Pe Antonio José, Pároco da N S de Fátima, Méier, também consagrado na Comunidade, deu continuidade enfocando O discipulado e a missão na Comunidade Bom Pastor – vocação/carismas

Antes de falar para todos, Dom Orani se reuniu com a fundadora da Comunidade, Doris e com os sacerdotes consagrados e amigos da Comunidade. Doris contou um pouco da história da obra nascida há 34 anos. Dom Orani pode ouvir também os testemunhos dos sacerdotes que caminham junto à Comunidade.

Falando com os servos, consagrados e consagradas da Comunidade, Dom Orani disse estar muito feliz por chegar a um lugar com tanta visibilidade nacional, como é Copacabana, conhecido até fora do país, e ver um povo que ora e evangeliza, um povo que é de Cristo e que tem a beleza do trabalho cristão em seus vários  aspectos. “Já conhecia a Comunidade Bom Pastor de longe, e agora, de perto, vejo-a como um sinal muito claro daquilo que Igreja pede hoje. Louvo a Deus por vocês existirem e pelo trabalho que desenvolvem. Peço a Deus que o trabalho continue e que vocês se deixem guiar pelo Espírito Santo cada vez mais. Eu vejo aqui aquilo que o documento de Aparecida pede: o primeiro anúncio, encontro pessoal com Jesus, trabalho com necessitados, aprofundamento da fé, deixar o Espírito Santo conduzir e dirigir para transformação da sociedade. Ver os sacerdotes consagrados e amigos da Comunidade é também um sinal do Espírito Santo antecipando aquilo que o Papa pede para o Ano Sacerdotal”, sublinhou Dom Orani.

O Arcebispo do Rio explicou que o caminho que o papa nos aponta no Ano Sacerdotal tem dois lados. “Um deles pede que a igreja possa perceber a beleza especial da vocação sacerdotal reconhecendo assim o seu valor, que não é apenas profissional, mas compromete toda a vida da pessoa. Por outro lado, o Papa pede a oração pela santificação dos sacerdotes e que eles possam contar com o apoio das comunidades. Neste aspecto, vejo que a Comunidade Bom Pastor tem ajudado os padres a encontrar a essência da sua vida no encontro com Jesus o Senhor, o único que nos basta e que ninguém pode preencher, pois o coração do sacerdote tem sede do infinito que é Deus”. Dom Orani concluiu nos apontando o Cura D”Ars “que aos poucos transforma toda a realidade da cidade de Ars, trabalho que se estendeu à França e depois mais ainda.   Se a cidade de Ars foi transformada, por que não o Rio de Janeiro?”

A Missa de encerramento foi celebrada pelo Padre Arnaud, missionário francês amigo da Comunidade. Como fruto deste dia e na alegria de celebrar com a Igreja o Ano Sacerdotal, a Comunidade realizará no dia 20 de novembro um retiro para sacerdotes e conta com a presença de todos os padres que têm ajudado as ovelhas do Bom Pastor a caminhar ouvindo a voz do Pastor Amado para segui-Lo com fidelidade.





JUNHO 2009

Celebrações pelos 50 anos de Mons Abílio

Musical História de uma vocação


No dia 21 de junho, a Comunidade Bom Pastor junto com outras pastorais e movimentos homenageou nosso querido Pároco Monsenhor Abílio pelos seus 50 anos de sacerdócio apresentando o musical História de uma Vocação, na nave central da Paróquia N S de Copacabana. Mais de 150 pessoas, entre adultos, jovens e crianças, participaram entre atores, cenógrafos e produção das diversas pastorais e movimentos da Paróquia. Após três meses de ensaios e dedicação, foi encenada a biografia do sacerdote, desde o nascimento até os primeiros passos como sacerdote. O espetáculo teve a direção da Cristiane, que é a responsável pelo Coral Infanto-Juvenil da Comunidade Pavão Pavãozinho.

Missa Solene


Com os corações cheios de gratidão, mais de 45 sacerdotes concelebraram a Missa Solene em Ação de Graças pelos 50 anos do Monsenhor Abílio durante o horário do Grupo de Oração da Noite da Comunidade, no dia 28 de junho. A igreja estava lotada.

Na homília, Monsenhor Abílio disse: “Deus operou maravilhas nestes 50 anos. Logo no primeiro dia, assim que terminou a ordenação sacerdotal, eu percebi que era uma pessoa diferente das outras. Meu professor e diretor espiritual, Mons Maciel, se aproximou de mim dizendo – Agora  você é sacerdote como eu. Dá-me a sua primeira bênção. Naquele instante, eu compreendi que o sacerdote é outro Cristo no meio do povo. Não é alguém que faz benefícios mas um homem que se configurou a Cristo para  ser Cristo no meio do povo. Jesus pode ser tocado, pode ser ouvido, através do sacerdote, e Dele receber graças como recebiam todos que se aproximavam do Senhor. É um mistério de fé grande”.

Mons Abílio contou qual foi a sua maior alegria e a maior tristeza. “Alguém me perguntou, nesses dias, qual foi a minha maior alegria e a maior tristeza. Quero também compartilhar com vocês. “A maior alegria é ser padre”. E confidenciando o seu desejo de alcançar a santidade: “a maior tristeza é ainda não ser santo”.

No ofertório, as Pastorais, Movimentos e os Grupos de Partilha da Comunidade entraram em procissão, levando as cestas com os produtos de higiene pessoal destinado aos seminaristas e asilos de idosos. Na ação de graças, após a comunhão, os corais do Movimento Comunhão e Libertação e o Litúrgico da Paróquia apresentaram músicas sacras. Após a apresentação musical, Doris, em nome dos irmãos e irmãs da Comunidade e com o coração cheio de gratidão, leu uma pequena mensagem de louvor a Deus e agradecimento ao Mons Abílio.





MAIO 2009

Retiro “Corações ao alto”

Um final de semana que renovou a esperança e o desejo de ser uma pessoa melhor! Os pregadores comoveram nossos corações falando de forma profunda e ao mesmo tempo muito simples. Assim foi o retiro Corações ao Alto que aconteceu nos dias 16 e 17 de maio.

Pe Gleuson ministrou duas palestras. Ele abriu o encontro com texto de Lucas 24,4. “O versículo diz que elas estavam amedrontadas, não sabendo o que pensar e com os rostos voltados para o chão. Nós, muitas vezes, também ficamos assim, como entorpecidos. A realidade vista pelos olhos da fé pode ser transformada.

A expressão Corações ao alto é em primeiro lugar um clamor diante dos apegos, aquilo que nos puxa para baixo. É preciso romper definitivamente com o pecado. Percebemos que o sacrário é sagrado, mas temos dificuldades para entender que eu, você e cada pessoa também são sagrados”. Ao comentar o trecho de Col 3, 1-2 em que Deus pede para nós buscarmos as coisas do alto, Pe Gleuson disse que a única maneira de romper com a força da nossa carne é afeiçoar-se, ter afeto, amizade, desejo com as coisas de Deus. No final, o sacerdote convocou todos a proclamarem: Na minha carne, verei a glória de Deus!

Revestidos com a força do alto foi a palestra do Pe Roberto. Um dos textos mais fortes que ele usou foi Prov 4,23: Guarda o teu coração acima de todas as outras coisas. “Quem tem guardado o seu coração de todo o mal? Nós fazemos seguro de carro, compramos fechaduras especiais para as portas, guardamos os filhos mas não guardamos o coração. Proteja o seu coração das imundícies do mundo. Se o meu ministério sacerdotal não custa nada, ele não vale nada. Se a minha consagração não me custa nada, ela não vale nada.

“Nascer do alto é passar pelo Batismo recebendo a nova vida de Jesus. Desde esse dia nos tornamos cidadãos dos céus. Na realidade, nossos corações já estão no alto desde o dia do nosso Batismo”, esclareceu Pe Bruno na sua primeira palestra. Ao comentar o texto de Rom 6,3-5, Pe Bruno enfatizou que no batismo fomos sepultados recebendo a  identidade filhos de Deus destinados à ressurreição.

“Quando tentamos viver como o mundo, imitando o mundo, ficamos ridículos. Quando não vivemos como cidadãos dos céus ignorando a identidade cristã, perdendo a consciência de que estamos mortos para esta vida, nos queimamos espiritualmente. O pecado mancha o próprio Cristo. Quando pecamos, nós que temos a graça de conhecer a Palavra de Deus, provocamos uma dor muito maior ao Senhor do que os atos mais bárbaros cometidos por aqueles que ainda não conhecem a Deus”.

“A base da sabedoria do mundo é pensar em si mesmo em primeiro lugar, ou então,  seja feliz a qualquer custo, como a mídia nos envolve”, afirmou Pe Bruno na colocação sobre a Sabedoria do Alto. “Diante de Deus, o que interessa não é o que eu faço nem quanto eu faço,  mas POR QUE eu faço e COMO  eu faço, como está em I Cor 13, 1-3: “... Ainda que eu distribuísse todos os meus bens em sustento dos pobres, se não tiver amor, de nada valeria. No texto de Tiago 3,15-17, aprendemos as faces da sabedoria do alto: “...pura, pacífica, condescendente...” condescendente, que significa abaixar-se...

O que é ter o coração em Deu ? Essa foi a pergunta que o Marcos nos lançou na última palestra.  “Jesus nos diz Onde está o seu tesouro aí está o seu coração. O coração que está em Deus queima na presença dEle e nem vê o tempo passar”. Pe Gustavo coroou o encontro na Missa de encerramento que celebrou. “Este 6º Domingo do Páscoa é o Domingo do Amor”, assim definiu. “Jesus insiste em pedir: permanece no meu amor. À medida que faço a experiência de permanecer no amor de Deus, verei a marca do amor esteja em tudo o que eu faço. Nesta Missa, Jesus quer de novo dar a cada um a graça de acreditar no amor trazendo de novo ao nosso coração a fé no amor pois a ressurreição de Jesus é a nossa ressurreição. Vamos olhar para Jesus é dizer só o Teu Amor. Só o Teu amor muda a minha vida, só o Teu amor muda tudo ao meu redor”.





MARÇO 2009

Retiro “Aos Teus Pés, Jesus”

Aos Teus pés, Jesus. Este foi o tema do retiro que aconteceu nos dias 21 e 22 de março nos levando a contemplar as pessoas do Evangelho que foram aos pés do Senhor, como Maria, a irmã de Marta e Lázaro. As palavras dos pregadores  - Pe Gleuson; Pe Cadu, de Niterói;  Pe Ramon; Pe Sergio Muniz; Pe Gustavo e o seminarista Jorge Carreira -  despertaram em todos o desejo sincero de estar aos pés do Senhor em cada dia de nossas vidas.

Pe Gleuson abriu o encontro dizendo que estar aos pés de Jesus “é estar pronto para receber. Quem não é humilde não está pronto a receber. E, lá, junto aos Seus pés, é um lugar de adoração e escuta. E, quando Ele fala aos nossos corações, ninguém resiste à voz do Bom Pastor”.


O seminarista Jorge Carrera nos mostrou que aos pés de Jesus encontramos refúgio e descanso.  “E, junto do nosso Amado somos renovados, pois Deus só sabe fazer coisas novas. Quando o Amado vem e nos olha, faz em nós novas todas as coisas”.

O dia de sábado foi concluído, literalmente, aos pés de Jesus, no Santíssimo Sacramento. Após um forte momento de adoração e entrega, em que fluiu uma música nova, levantamos uma grande súplica pelos jovens que permaneceram de joelhos, bem junto ao Santíssimo entregando não apenas suas próprias vidas mas a de todos os jovens.

No domingo,  Pe Cadu nos ajudou a entender que estar aos pés do Senhor “é permitir que o Mestre encontre um coração disponível a ouvi-Lo”. Ao comentar sobre a mulher pecadora que chorou sobre os pés do Senhor (Luc7, 38), ele disse que “ela aguardava uma nova oportunidade para melhorar. Deus espera de nós esta atitude e a confissão é a experiência de estar aos pés do Senhor, é correr para o perdão, lugar onde contemplamos o Seu infinito e misericordioso amor ”.

Pe Ramon nos mostrou que aos pés do Senhor também é lugar de agradecimento e da oração. Ele nos lembrou o leproso que depois de curado agradece se prostrando aos pés de Jesus. “Coração agradecido é o que confia na providência”. Pe Sergio Muniz lembrou que após a pesca milagrosa, Pedro se jogou aos pés de Jesus. E, foi lá, que nasce o discípulo, e lá, o Senhor dá a ele sua missão “não temas, de hoje em diante serás pescador de homens” ( Luc 5,8-11).

A Missa de encerramento foi celebrada por Pe Gustavo. Na homilia, ele nos alertou: “Muitas vezes nos enganamos achando que devemos nos aproximar de alguém com quem temos problemas e dizer: “Vamos lavar nossa roupa suja porque assim não dá. Nós não fomos chamados para lavar roupa suja com o outro.  Jesus nos chama para lavar os pés”.  Agradecemos a Deus que, em plena Quaresma, nos fez redescobrir este lugar onde podemos estar em qualquer momento de nossas vidas e que, pela nossa oração, podemos levar todos os irmãos.





FEVEREIRO 2009

Retiro de Carnaval 2009

A pedido da Paróquia N.S de Copacabana, tivemos nos dias 23 e 24 de fevereiro, na sede da Comunidade, um lindo retiro de Carnaval.O tema foi “A alegria do Senhor é a nossa força”.

No dia 23, contamos com a presença do Pe. Cadu dizendo que somos vocacionados à alegria. Deus me chama à alegria, disse ele, mas não quer dizer que não exista cruz. Mesmo na cruz, os santos encontraram a alegria.

Pe. Cadu nos levou ao Livro do Eclesiástico capítulo 30, versículo 23, onde encontramos a Palavra de Deus nos revelando que “a alegria é um inesgotável tesouro de santidade”. Ela é um dos frutos do Espírito Santo, fruto que o Senhor dá a cada dia para nos levar para o céu.

Pe. Cadu nos orientou a identificar em que área de nossas vidas o inimigo tem infiltrado tristeza. E com uma oração de entrega, pedimos ao Senhor para vir em nosso socorro. Encerramos nosso dia com a Santa missa para louvar por tudo o que o Senhor nos tinha feito.

No dia 24, Marcos que é um servo da Comunidade, nos conduziu ainda mais nesse tema, fazendo-nos entender que a alegria é uma característica da vida do cristão genuína. A alegria é uma resposta que o cristão dá à vida, pois não teme más notícias. E alegria nos torna um belo modelo vivo do Evangelho.

Ainda, na parte da manhã, na adoração ao Santíssimo, vivemos um momento maravilhoso de cura e escuta do Nosso Pai Celestial nos dizendo o quanto somos amados.

Na parte da tarde, Marcos continuou o tema dizendo que, mesmo na circunstância adversa, a Palavra de Deus nos garante vitória. A alegria que Ele nos dá ninguém pode roubar.

Terminamos esse dia maravilhoso felizes por termos oportunidade de mergulhar mais na Palavra do Senhor e sermos envolvidos por Seu amor com a Santa Missa.

Recebemos no Retiro muitas pessoas que vieram pela primeira vez à Comunidade Bom Pastor. Esperamos contar com sua presença no próximo!



Festival do Sorvete

Com muita alegria e animação, no dia 08 de fevereiro, um lindo domingo ensolarado e bastante quente no Rio de Janeiro aconteceu o 7º Festival de Sorvete na Comunidade Bom Pastor.

Mais de 200 pessoas, entre adultos, jovens e muitas crianças, participaram desta tarde convivência fraterna e de lazer que contou com brincadeiras, de dança da cadeira, corrida de saco e dança com a bola.

Os jovens da Comunidade se empenharam bastante para que o festival fosse um momento de grande alegria para os irmãos e uma oportunidade para que os outros pudessem conhecer um pouco o amor e a bondade do Senhor.

A renda do Festival está destinada à aquisição do novo sistema de som e para manutenção da nossa sede. Queremos evangelizar oportuna e inoportunamente! Esperamos você em nosso próximo evento para termos a oportunidade de nos alegarmos no Senhor juntos como verdadeiros irmãos e ovelhas do Bom Pastor.

 

 

JANEIRO 2009

Retiro baseado em Isaías, capítulo 61

O nosso primeiro retiro do ano aconteceu nos dias 24 e 25 de janeiro com o tema “Revestidos das vestes da salvação” baseado no texto de Isaías 61, 1-11. Cada palestra aprofundou um dos versículos desta passagem bíblica. Para isso, contamos com Pe Antonio José, Pe Ramon, Pe Valdir, Pe Francisco. Frei Eli e Laura.

Pe Antonio José abriu o retiro pedindo para escrevermos em um papel e depois colocarmos na frente do espelho do quarto a frase: eu tenho um grande motivo para viver: Jesus !“Ao iniciar sua vida pública, Jesus abriu este texto de Isaías na sinagoga de Nazaré e no final declarou: Hoje se cumpriu a Escritura o que acabais de ouvir (Lucas 4, 14-22). Esta passagem é uma declaração apaixonada de amor de Jesus a cada um de nós”, falou o sacerdote. Pe Antonio explicou que o Espírito Santo está sobre nós, com um propósito, isto é, para que cada um realize as missões proclamadas no texto: dar uma boa notícia, curar os corações doloridos, anunciar o tempo da graça começando por aqueles que estão perto de nós.

À tarde, Pe Ramon continuou com os versículos 3 e 4 de Isaías 61. Ele nos fez enxergar o lugar que temos na vida das pessoas. “Deus nos revestiu de salvação para que nós possamos revestir os irmãos da mesma salvação. Você é chamado a perceber as falhas, mas não permanecer nelas”, disse. O sábado se encerrou com Pe Valdir. “O Senhor fez uma aliança eterna conosco, comigo, com você. Esta aliança tem o poder de renovar a graça e o poder de ser criatura nova. Quando permito que Deus me toque passo a ser luz para o outro”. Após a colocação, o sacerdote ministrou um momento de adoração e cura diante do Santíssimo Sacramento.

No domingo, Pe Francisco afirmou que atrás do mal está o bem. “Para que o bem seja  descoberto, eu preciso perseverar. A cada dia, o Senhor opera a meu favor. O mal é muito evidente em nosso tempo, enquanto o bem é discreto e silencioso. Não se pode ter esperança se não tenho paciência. O que caracteriza a esperança é a perseverança”.

À tarde, Laura falou sobre como foi a ação do Espírito Santo na vida de São Paulo. Ela nos mostrou como o perdão de Estevão antes de morrer contribuiu para a conversão do perseguidor cruel dos cristãos em pregador incansável da boa nova da salvação (At 7,54-8,1 e 9, 1-8). Vimos que assim como o Senhor abriu os olhos de Saulo, e, em seguida, ele, na força do Espírito Santo, pudesse dar visão espiritual a muitos outros de países e cidades tão distantes.

A Missa de encerramento foi celebrada pelo Frei Eli que entusiasmou a todos convocando-nos a assumir e viver a responsabilidade de batizados.

Novo Presidente

O novo presidente administrativo da Comunidade, Luiz Paulo de Carvalho, o Paulinho, tomou posse no dia 05 de janeiro, na primeira Missa do ano celebrada pelo Pe Antonio José. Na ação de graças, Pe Antonio chamou o Paulinho e o Hugo (que presidiu a Comunidade até aquela data) ao altar, proclamando o texto de Isaías 61, que a Igreja nos ofereceu neste dia no Ofício das Leituras, sobre eles. Somos gratos a Deus pelo tempo que o Hugo assumiu a presidência e contamos com a oração de todos pelo novo presidente.

 

 

TOPO

"Se tu fores aquilo que deves ser, lançarás fogo ao mundo". (Santa Catarina de Sena)