Nadar contra a correnteza

Vou partilhar um pouco o que vivi no retiro para renovação de consagração.De forma mais clara, eu entendi que a oração é mais forte que qualquer palavra, e por isto, quero celebrar bem. As palavras do Mons Elia me ajudaram a compreender que meu pensamento deve estar centrado no que estou fazendo (lendo). Se for o caso, eu mudo de lugar para que possa desfrutar daquilo que Deus tem para mim naquele momento. Viver o momento é uma virtude presente.

O que mais me tocou foi quando o Mons. Eli falou sobre viver a minha identidade de batizado, de consagrado. Ser aquilo que sou diante de Deus e dos outros. Também fui tocado com o chamado para nadar contra a correnteza.

Também compreendi que nada justifica que devemos ficar com os nossos defeitos. Posso e devo mudar tentando superar, este é o exercício. Se dependesse de nós ficaríamos no ventre de nossas mães pois somos acomodados e somos muitas vezes preguiçosos não querendo enfrentar nossa realidade.

Se não entendi alguma atitude de alguém, não devo passar a frente. Devo me manter calado ou procurar saber melhor com mais detalhes antes de passar adiante para quem quer quer seja.

E não me deixar escravizar pelos meu defeitos. Ter a consciência de que os tenho mas não me deixar dominar por eles sabendo que Cristo morreu por mim por causa deles. E se alguém me jogar na cara, eu posso responder em silêncio, pelas chagas de Cristo. E, pelas chagas de Cristo, posso proclamar que aquele defeito já não me pertence mais.

Nilton
novembro de 2009


Ela, Nossa Senhora

Um encontro que marcou as nossas vidas! Foi o que aconteceu no dia de reflexão para os consagrados da nossa Comunidade. No dia seguinte, quando preparava a matéria para o jornal, ao escrever a data 22 de agosto, percebi claramente a intercessão de Nossa Senhora em tudo o que aconteceu.  Este é o dia de Nossa Senhora Rainha. É uma festa da Igreja, que embora pouco conhecida, está na Liturgia e o Pe Arnaud recordou de forma linda na Missa que coroou aquele dia de retiro.

No momento em que escrevi a data, tive a certeza que Nossa Senhora intercedeu por cada detalhe para que nada faltasse. Pude sentir a doçura da sua presença maternal, seu cuidado zeloso até com as menores coisas. Não foi por acaso que o retiro aconteceu neste dia. Creio que foi providência de Deus para que percebêssemos - eu percebi - a intercessão da Mãe de Deus por nós.

Aquela linda imagem de Nossa Senhora das Graças que temos em nosso salão e que, algumas vezes fica logo na entrada, é um sinal  que o Espírito Santo, Aquele que ensina e recorda todas as coisas, nos deu para nos darmos conta e ter uma nova consciência da presença constante de Maria junto conosco.

Que, hoje, Nossa Senhora, possa ser realmente Rainha em nossas vidas, nas ações concretas, nas palavras. Que tenhamos aquela prontidão (ou como diz um santo que eu não me lembro o nome, a santa pressa, mesmo) em ajudar o irmão como ela foi ajudar Isabel.  Que possamos com Ela, clamar ao Senhor: "Eis-me aqui". E, que possamos, em nossos grupos de partilha, ser alguém que ore com os outros, como Ela fez no Cenáculo. 

Que o Espírito Santo nos ajude, só por hoje, a ter e ser a discrição de Maria, nos relacionamentos. Que Ela nos ensine o que é "guardar no coração todas as coisas" e como viver "fazendo o que Ele nos disser".  E, que hoje, o Espírito Santo seja o único HÓSPEDE DE NOSSAS ALMAS e que todos os outros que querem entrar (ou talvez já tenham entrado), sejam totalmente envolvidos pela Luz do Nosso Deus,  em Nome de Jesus. Amém!

Abraço fraterno na alegria em Jesus,

Laura Beatriz
22 de agosto de 2009


« VOLTAR

"Eu vim lançar fogo à terra..." (Lc 12,49)