» Veja aqui:

O decreto assinado pelo Arcebispo do Rio de Janeiro Don Orani Tempesta, aprovando o estatuto da Comunidade Bom Pastor.

Somos uma associação de fiéis de todos os estados de vida, cujo nome foi inspirado no capítulo décimo do Evangelho de João: “Eu sou o Bom Pastor. Conheço as minhas ovelhas e as minhas ovelhas conhecem a Mim”. Temos procurado ouvir a voz do Bom Pastor e segui-Lo até as fontes de águas puras do seu Espírito Santificador e Consolador, vivendo as graças da Renovação Carismática Católica.

Movidos pela voz inconfundível do Supremo Pastor de nossas almas - o Senhor Jesus - dispomo-nos a segui-Lo.

“As ovelhas seguem-no, pois lhe conhecem a voz”,assim temos vivido as graças da Renovação Carismática Católica. Somos impelidos a missão evangelizadora pela voz de comando de nosso Amado Pastor, que nos lança ao zeloso serviço do seu rebanho, anunciando sua magnífica promessa de vida em abundância: “Eu vim para que as ovelhas tenham a vida e a tenham em abundância”. E, assim, com a mesma consolação que recebemos de Deus, somos impelidos pelo Espírito a consolar os irmãos nas suas angústias (cf. II Cor. 1,4).

Como Caminhamos

Caminhamos plenamente inseridos na Igreja que nos fala como Mãe, confirmando a direção que o Bom Pastor nos aponta através da Sua Palavra que é "lâmpada para os nossos pés".

Procuramos, na obediência à Sua Palavra, conquistar a liberdade que Ele anuncia em Jo 8,36 quando diz: "Se o filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres". À medida que nos mantemos atentos à Palavra que nos alimenta e guia e vamos exercitando, na força do Espírito Santo, colocá-la em prática, obedecê-la, nos sentimos cada vez mais ovelhas do Pastor Amado. Passo a passo, aprendendo a conhecer melhor a voz do Bom Pastor ao mesmo tempo em que adquirindo o autoconhecimento e vencemos, vendo ordenarem-se os confusos e rebeldes sentimentos da nossa natureza que teima em impedir a vida da graça em nós.

Com ajuda mútua, olhando na mesma direção, seguimos a luz do Espírito Santo dispostos a vencer as tentações e apegos capazes de nos escravizar, optando por obedecer a Deus - nos seus preceitos e na pessoa dos irmãos.

Quanto mais dóceis vamos nos colocando "aos impulsos da graça, mais cresce a nossa liberdade íntima e nossa firmeza nas provas e diante das coações do mundo.' ( CIC 1742 ) . Temos visto acontecer e temos partilhado que "nada nos separará do amor de Cristo", nosso Bom Pastor que prometeu e nos tem feito experimentar a vida em abundância que nos veio trazer.

Como Surgimos

No dia 1º de dezembro de 1975, surgiu um pequeno rebanho. Eram seis pessoas. João e Doris “ouviram” a voz do Bom Pastor, e encantados com sua doçura, abriram as portas de sua casa para torná-la um aprisco, onde Jesus pudesse reunir todos os que atraídos por Ele, lá chegassem para ouvi-Lo e segui-Lo. E isso mudou a vida daquele casal que passou a servir integralmente a Deus.

Em 1979, aquele pequeno rebanho que tomou o nome de Grupo Bom Pastor e chegou a reunir cerca de oitenta pessoas, foi levado por Ele ao coração da Igreja. Abrindo as portas da Paróquia N. S.de Copacabana o bom Pastor multiplicou e tem multiplicado abundantemente o Seu rebanho, acolhendo e socorrendo todos que são atraídos pelo Seu chamado.

É com muita gratidão e alegria que temos visto o Bom Pastor derramar Seu incondicional e terno amor, curando, transformando, libertando e dando um sentido novo à vida de tantos jovens, casais, pessoas das mais diferentes idades e condições que se sentiam aflitos e perdidos, iluminando-os com a luz do Espírito Santo.

O Pastor Amado nos tem conduzido dando-nos "vida em abundância". Seduzindo o nosso coração para desejá-Lo e conhecê-Lo cada vez mais, dá-nos a graça de servi-Lo e de amarmos com ardor a Sua Igreja, conscientes de que nela, pelo Batismo, nascemos para a vida eterna que Ele prometeu.

Por isso, aprendemos a proclamar na força do Espírito Santo: “O Senhor é meu Pastor e nada me faltará...”

Carismas

Obediência:


A vida nos oferece coisas agradáveis, que fazemos com grande prazer.

Obedecer, porém, não é uma delas, porque pressupõe submissão e gera em nossa mente um confronto com algo que muito prezamos: nossa liberdade.

Adoramos levantar a bandeira da vitória com os dizeres: “É para que sejamos livres que Cristo nos libertou”... esquecendo-nos de outras sábias palavras da Bíblia: “Tudo me é permitido, mas nem tudo me convém.”

Jesus foi o homem mais livre que já existiu, entretanto, embora sendo Filho de Deus, sujeitou-se a ser aperfeiçoado, aprendendo a obediência, por meio dos sofrimentos que enfrentou.

Isto, é claro, serve também para nós. Um dos carismas da nossa Comunidade é a Obediência. Desde o nosso batismo fomos libertos da escravidão do pecado que leva à morte. Deus, agora, espera que saibamos usar da perfeita liberdade que Jesus nos conquistou, obedecendo a Sua Palavra, obedecendo as diretrizes da Igreja e às autoridades constituídas, assim como uns aos outros.

Para os membros da Comunidade Bom Pastor, obediência no amor e pelo amor é sinônimo de libertação, carta de alforria e quebra de grilhões. Assim Ele nos quer. Com a ajuda do Espírito Santo, que assim sigamos e assim sejamos.

Perdão:

“Perdoai-vos uns aos outros..." ( Ef.4,32 )

É assim que o Bom Pastor nos tem exortado a viver. O Espírito Santo derramado em nossos corações (Rm. 5,5) nos tem feito entender que perdoar é uma sagrada responsabilidade para com nossa alma. Devemos perdoar como fomos perdoados para permanecermos cobertos com o manto da salvação colocado sobre nós quando Jesus encravou nossos pecados na Cruz, e nos alcançou o perdão do Seu Pai e nosso Pai que está no céu.

Esse como, tem sido mola propulsora na nossa caminhada de fé. Quando Jesus nos ensinou a pedir e dar o perdão, Ele usou dois termos que assumem nesse contexto um sentido definitivo e grave. São eles: como e tampouco. "Perdoai-nos as nossas ofensas, assim como perdoamos a quem nos tem ofendido", e acrescentou: "se não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai vos perdoará". (Mt. 6,15)

“Recusando-nos a perdoar nossos irmãos e irmãs, nosso coração se fecha, sua dureza o torna impermeável ao amor misericordioso do Pai”, como nos diz a Igreja. E assim, tampouco, (tão pouco, de forma alguma), poderemos receber o perdão de Deus.

Essa palavra - perdão - que brotou como experiência libertadora em nossos corações, tornou-se um carisma da Comunidade. O exercício do perdão constitui-se como uma regra de vida a ser cumprida pelos membros engajados e comprometidos. São esses os responsáveis pelos serviços e grupos de partilha da Comunidade e têm, como missão, ajudar os irmãos na conquista dessa graça com a qual o Bom Pastor amado tem mudado nossas vidas.

Unidade

“Deus nos manifestou o misterioso desígnio de sua vontade... reunir em Cristo todas as coisas, as que estão nos céus e as que estão na terra.” (Ef. 1, 9-10)


A unidade em Cristo é o propósito declarado de Deus e também um dos carismas de nossa Comunidade. Queiramos ou não, saibamos ou não, no mundo todo e no próprio Universo tudo é direcionado para este ponto central: JESUS.

Seremos sábios se nos deixarmos levar pelo Espírito Santo, que nos conduzirá a esta glória que nos está reservada: sermos um com Cristo! Enquanto não chegamos à plenitude de tal realização, devemos nos dedicar a alcançá-la, andando com Deus diariamente no alimento da Palavra, na Eucaristia e na Comunidade - corpo de Cristo.

A unidade é o vínculo da perfeição a que somos chamados. Deus é Um; o homem - como ser - é Um. Agrupemo-nos em torno de Jesus, como ramos da Videira. Assim, unidos, estaremos dentro do propósito do Pai: reunir em Cristo, Seu Filho e Nosso Senhor, todas as coisas.

Nossa Missão

Descobrindo na Palavra a verdadeira identidade, adquirida nas águas do Batismo, cada irmão e irmã na Comunidade, foi despertado para vocação a que foi chamado respondendo à voz do Bom Pastor pela oração, acolhimento e intercessão.
Somos enviados a evangelizar por todos os meios, fazendo-nos porta-vozes de Deus contra o mal e o pecado.

Depois do compromisso de acolher a Palavra de Deus no diálogo da oração, somos enviados a proclamá-la com os lábios, com os gestos e com a vida. Voltados para o bem dos irmãos sofridos e marginalizados, e reconhecendo Jesus na pessoa de cada um, nós os acolhemos na oração de intercessão e na assistência material possível.

Essa é a missão que o Senhor nos tem confiado e que devemos cumprir contando com a graça da Deus: fecundar a Igreja, gerando servos renovados no Espírito Santo que como Maria, nossa Mãe, realizem sua ação apostólica onde o Senhor os chamar.

TOPO

"Eu vim lançar fogo à terra..." (Lc 12,49)