MAIO 2013
Vigília Ecumênica de Pentecostes


Ortodoxos, evangélicos e católicos em um só coração e uma só alma

Celebração fervorosa, corações desejosos da unidade como Jesus pediu (Jo. 17,20). Este foi o clima que tomou conta da Vigília Ecumênica de Pentecostes que reuniu ortodoxos, evangélicos e católicos, sob a presidência do Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, no dia 18 de maio, na Paróquia Nossa Senhora de Copacabana.

A procissão de entrada foi formada pelos seminaristas católicos, sacerdotes, pelo padre ortodoxo, pastores evangélicos  e Dom Orani. A noite fria de maio era aquecida pelas orações e pelos cantos de louvor da assembléia animada pelo coral do Seminário São José e pela Banda  Bom Pastor. O padre Fábio Luiz de Souza, que coordena a Comissão do Ecumenismo e do Diálogo Interreligioso da Arquidiocese do Rio, conduziu a noite de oração apresentando, no início, os líderes das igrejas cristãs. A celebração, preparada e organizada pelo padre Fábio com a Comunidade Bom Pastor, contou com momentos de louvor, de reconhecimento de pecado, das leituras bíblicas, de oração e intercessão, e da partilha da Palavra. Após as leituras, cada representante fez uma pequena reflexão sobre os textos lidos. O primeiro foi o Pastor Mozart Noronha, da Igreja  Evangélica Luterana, que recordou a manhã gloriosa de Pentecostes. “Naquele dia em Jerusalém, estavam reunidos 17 povos de línguas diferentes. Isso confirma que Pentecostes proclama unidade, unidade na diversidade”. 

Pastor Nino, da Comunidade Evangélica Filhos do Rei, de Jacarepaguá veio em seguida. “A passagem do profeta Miquéias 6,6-8 que foi proclamada há pouco contém várias perguntas que nós podemos fazer hoje. São questões que nos ajudam a compreender o modo de nos apresentarmos ao Senhor. Vimos que Deus não quer o sacrifício, nem holocaustos  mas que se respeite a justiça, que amemos, que sejamos fiéis e que caminhemos com humildade  diante de Deus”. Ele contou que foi a frase de um jovem católico que fez seu coração se abrir para a unidade entre os cristãos. “Aquele jovem me disse: Pastor Nino o que nos une é muito maior do que aquilo que nos separa”, contou emocionado.

Logo depois, falou o representante da Igreja Presbiteriana Unida, pastor Luciano. “Ao entrarmos cantamos o hino que diz estaremos aqui reunidos como estavam em Jerusalém. Porque eles estavam reunidos em Jerusalém, hoje nós estamos aqui. Eles realizaram o sonho de Deus e nós somos parte desse sonho também.  Através de  nós, muitas outras gerações serão alcançadas para se tornarem testemunhas de Jesus.  No evangelho de Lucas 24,13-35, anunciado nesta noite, vemos os discípulos de Emaús se afastando, tomando distância de Jerusalém. Isso também acontece conosco. Muitas vezes, também nós tomamos a direção contrária daquela onde está o Senhor. Quando isso acontecer, que o Senhor nos encontre, fale conosco, nos abrace e nos leve a olhar onde estamos e onde se encontra a vontade de Deus para nossas vidas. Que nessa hora, possamos corrigir o rumo da nossa caminhada  e que possamos voltar para dizer estamos reunidos em Jerusalém”, concluiu.


“Nossa unidade é real”

“Nossa unidade é real, ainda falta caminhar, mas já é real”, assim começou a pregar o pastor Silas Esteves, da Igreja Palavra Viva, de Niterói. “Deus está unindo seu povo.  Agora é a hora da família bendita do Pai. No livro de II Crônicas 7,14-15,lemos que se nos arrependermos, nosso Pai nos ouvirá, e vai sarar a nossa terra. Sim, existe cura para a terra da nossa sociedade.  Depende de nós, que nossos corações se humilhem . Só na unidade do Corpo de Cristo,  o mundo será alcançado. É tempo de despertarmos do sono da indiferença, o mais rápido, para fazer o que Deus pede e confia que possamos fazer. Que esse encontro nos ajude a fazer hoje o que Deus pede a cada um de nós”.

Depois, falou o padre Henrique, da Igreja Ortodoxa Grega: “Temos pedido a Deus unidade entre cristãos, e hoje eu vejo isso acontecendo. Temos a graça de ver e testemunhar a  unidade se realizando, e cada vez mais sólida, entre igrejas que não se falavam há séculos. Estamos presenciando as mágoas e as disputas darem lugar  ao amor e a concórdia. Em vez de corações fechados, vemos corações abertos ao outro. E eu creio que esse Congresso de Jovens ( JMJ Rio 2013) será histórico para todos os cristãos.  Creio que o Rio dará um  testemunho de acolhimento para o mundo”.


“Corações fervilhando de amor e concórdia”

Em seguida, foi a vez do reverendo Daniel Rangel que representou o Bispo da Igreja Episcopal Anglicana no Rio, Dom Filadelfo. “Esta vigília esta dando ao coração de cada um, o que aconteceu com os discípulos de Emáus:  olhos que se abrem e o coração ardendo de amor. Creio que nossos corações estão fervilhando de amor e concórdia por esse momento tão especial que vivemos.  As nossas  paróquias foram abertas para acolher os jovens da  Jornada. E os nosso jovens, mesmo de outros estados do Brasil, virão para formar um só coração com os jovens católicos.  Veremos a juventude fazendo unidade, unidade que vai brotar com maior ardor em todos nós”, falou entusiasmado o reverendo Daniel.

O Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, concluiu o momento da partilha da Palavra.  Ele saudou a cada irmão das igrejas presentes, pedindo que os representantes levem às suas comunidades, “ a nossa unidade, nossa oração e a esperança que todos nós somos chamados a viver, como sinais do amor de Deus”.  Ele destacou o tema da Semana de Oração para a Unidade dos Cristãos 2013.  “O que Deus exige de nós ? Este foi o tema que, nesse ano, foi preparado por um grupo ecumênico da India, meditações que nos falam sobre a importância da nossa unidade como sinal concreto de que Jesus é presente, transforma nossas vidas e  transforma  o mundo. Nós cremos no mesmo Senhor Jesus,  por isso é importante  que os cristãos dêem as mãos. Todos os trabalhos da Jornada Mundial da Juventude têm como  objetivo viver a nossa fé, anunciando  Jesus.  A JMJ já conta com 165 países representados e 55 idiomas. Está previsto um encontro com  jovens judeus, muçulmanos e cristãos. Essa vigília de Pentecostes é uma realidade em quase todo o mundo. Que o Espírito Santo nos dê força para enfrentar as contrariedades. Que Ele nos una cada vez mais, e nos faça assumir a nossa identidade cristã que nos faz olhar com esperança para o futuro, com o coração ardendo de amor a Jesus. Que especialmente na Jornada Mundial da Juventude possamos ser um sinal de paz  para o mundo”, concluiu o Arcebispo do Rio.


» CLIQUE AQUI PARA VER AS FOTOS DO EVENTO




DEZEMBRO 2011
Comunidade Bom Pastor celebra seus 36 anos

“Aclamai ao Senhor terra inteira... Senhor, Teu Nome Santo cantarei... com as mãos erguidas bendirei, Teu Nome Santo, eternamente cantarei”. Com este hino de louvor composto por Doris Hoyer de Carvalho, fundadora da Comunidade Bom Pastor, teve início a Missa pelos 36 anos da Comunidade, presidida por D. Roberto Lopes, Vigário Episcopal para a Vida Consagrada de nossa arquidiocese, e concelebrada por  Pe. Marco Túlio, Pároco da Paróquia S Vicente de Paulo;  Pe. Gleuson Gomes, Pároco da São Joaquim e Pe. Gustavo, Pároco da São Judas Tadeu e Nossa Senhora das Dores. Este momento de graça aconteceu no dia 05 de dezembro, lotando a Paróquia de Nossa Senhora de Copacabana..

Na saudação inicial, além de agradecer a presença dos sacerdotes, do diácono, do pastor evangélico, dos irmãos e irmãs das outras Comunidades presentes, e do Deputado Estadual Marcio Pacheco, Dom Roberto destacou especialmente a presença da fundadora da Comunidade Bom Pastor, a Doris, “que não tem podido estar presente, mas hoje pôde vir para estar com seus filhos e filhas da Comunidade

Na homilia, Dom Roberto ressaltou que Deus sempre vem em nosso socorro “como está na primeira leitura, (Isaías 35,1-10) em que ouvimos o Senhor nos dizendo: Não tenhais medo... criai ânimo! Vimos também que Deus propõe  o caminho santo.  A Comunidade é o lugar por excelência onde podemos seguir por esta “vereda pura” para encontrar o rosto de Cristo”.

Ao comentar sobre o evangelho do dia, de Lucas 5, 17-26, Dom Roberto fez um clamor: ‘o Senhor nos chama a ter a ousadia e  fé dos homens do Evangelho que subiram no telhado para chegar até Jesus. Foram ousados. Precisamos dessa ousadia. Não podemos ficar na nossa paralisia. Jesus quer nos curar hoje da paralisia e de tudo o que nos impede de seguir o “caminho santo” de que fala a primeira leitura. Vamos subir no telhado e tirar as telhas. Ontem, no retiro de renovação dos termos de compromisso da Comunidade, quatro jovens fizeram seus primeiros votos como aspirantes. Outros tantos renovaram. Vamos ter a coragem de levantar e sair ao encontro dos outros que estão aí fora nas praças, nas redondezas”, assim Dom Roberto nos impelia à missão.

Antes do ofertório, Pe. Gustavo e Pe.  Gleuson, acompanhados por Doris e Maria Marlene Carvalho, atual moder adora, renovaram os votos de compromisso com a Comunidade.

Na ação de graças, a pedido de D Roberto, Doris deu algumas palavras: “meu coração se alegrou muito. Passei o dia inteiro agradecendo a Deus por todos os irmãos da Comunidade. Dou graças a Deus pelos sacerdotes, pois deles nos vem a Vida, a Eucaristia, o perdao de Deus. Quero fazer um agradecimento especial àqueles que já se foram. Quero também louvar a Deus pelos responsáveis pelos Grupos de Partilha, verdadeiros jardineiros que adubam a terra fazendo nascer flores maravilhosas, gerar os servos para Igreja. Alguns não permanecem na Comunidade mas estão a serviço da Igreja. Que cada um possa ouvir Jesus Bom Pastor falando com ternura imensa: Estou contigo sempre”.



Comunidade Bom Pastor recebe medalha Pedro Ernestro

O Deputado Estadual, Marcio Pacheco, homenageou a Comunidade Bom Pastor com a entrega da medalha Pedro Ernesto pelos serviços humanitários prestados à cidade do Rio de Janeiro. A homenagem aconteceu na sede da Comunidade, logo após a celebração da Santa Missa pelo aniversário de 36 anos da Comunidade. No discurso, ele se emocionou: “Tenho a mesma idade da Comunidade. Nasci em janeiro e a Comunidade nasceu em dezembro de 1975. Cheguei com 16 anos à Comunidade. Aqui fui alimentado espiritual e materialmente; aprendi a tocar violão; tornei-me homem; aprendi a amar a Igreja. Aqui permaneci até seguir o caminho da política, onde, creio estou a serviço de Deus e da Igreja”.

A medalha de mérito Pedro Ernesto é a mais importante comenda do município do Rio de Janeiro, concedida pela Câmara Municipal àqueles que mais se destacam na comunidade brasileira.




AGOSTO 2011
Vigília da Jornada Mundial da Juventude

No Sábado, 13 de Agosto, a juventude Católica virou a noite dançando, se divertindo e principalmente, rezando e adorando a Cristo. Aconteceu no Maracanãzinho a vigília da Jornada Mundial da Juventude que estava acontecendo em Madri. O ginásio recebeu cerca de sete mil jovens que esperaram ansiosamente o anúncio oficial do Papa para a próxima jornada que será no Rio. Ao final da Missa, todos se voltaram para o telão aguardando a notícia tão esperada. No fundo, todos já sabiam da escolha, mas no momento da notícia o maracanãzinho explodiu de felicidade como se fosse gol do Brasil em uma final de Copa do Mundo. Os jovens da Comunidade Bom Pastor, junto com todos os outros jovens presentes divertiram no evento que começou às 22 horas e terminou as sete da manhã do domingo com bandas católicas, incluindo a Banda Bom Pastor que esteve presente animando a Santa missa celebrada pelo Vigário Episcopal para comunicação Social, Padre Marcos Willian, que celebrou simultaneamente com a Missa em Madri. No momento da homilia todos se voltaram para o telão onde assistiram o sermão do Papa direto da Espanha.



» CLIQUE AQUI PARA VER AS FOTOS DO EVENTO


Jovens lotam ruas de Madrid acolhendo o Papa Bento XVI

Máquinas a postos, bandeiras nas mãos e o coração acelerado na expectativa da primeira aparição do papa Bento XVI na Jornada Mundial da Juventude 2011. Milhares de jovens se espremeram pelas ruas de Madri nesta quinta-feira para ver o pontífice passar. Enquanto não avistavam o papamóvel, gritavam o nome de “Benedicto” e entoavam cânticos.

Jovens de todas as partes do mundo suportaram horas em pé, sob forte sol e temperatura próxima dos 40ºC, para guardar na memória a imagem de um Bento XVI sereno, que passou pela multidão sorrindo e acenando. Para tentar um melhor ângulo do pontífice, muitos se penduraram em árvores e monumentos.

Quem não conseguiu um lugar na Praça de Cibeles, onde o palco central foi montado, acompanhou o discurso pelos telões espalhados pela região. Bastou o Santo Padre começar a falar que a multidão se acalmou: ouvidos atentos e olhos vidrados em Bento XVI, que se dirigiu à juventude em diversas línguas.

A recepção ao papa trouxe ainda mais ânimo aos peregrinos. Madri está em festa. Nos restaurantes, nas estações de trem e metrô, dentro dos ônibus e pelas ruas, os jovens ecoam, com sotaques diferentes, uma frase que está se transformando no slogan da JMJ 2011: “Esta é a juventude do papa!”. É a prova de que a Igreja está mais viva do que nunca.

"A voz de Cristo é a única que não passa", reforça Bento XVI

Repleta de jovens: Praça de Cibeles recebe Bento XVI

A festa de acolhida preparada pela cidade de Madri e pelas centenas de milhares de jovens ao papa Bento XVI teve também um momento litúrgico, com a leitura de uma passagem do Evangelho de Mateus.


» CLIQUE AQUI PARA VER O DISCURSO DO PAPA




Notícias da JMJ-Madri

Simone, Valtecy e outros jovens brasileiros na pré-jornada, em Valencia - Espanha

“Bem vindos à Espanha. Bem vindos a esta Jornada Mundial da Juventude convocada pelo nosso Papa Bento XVI”, saudou o Arcebispo de Madri, Cardeal Antonio María Rouco Varela, na Missa de abertura da 26ª JMJ, nesta terça-feira, 16/08. Ao receber a chamada “geração Bento XVI”, Dom Rouco Valera salientou que esta é o “futuro vivo da nossa Igreja e de nossos povos”

Missa de abertura, em Madri




Brasil marca presença maciça em catequeses da JMJ

Dom Orani preside catequese em língua portuguesa na JMJ. A Jornada Mundial da Juventude continua num clima contagiante em Madri. Nesta quarta, 17  iniciaram-se as catequeses de formação para os jovens peregrinos. São mais de 250 catequeses sendo realizadas pelas paróquias da capital espanhola, nas quais os bispos e padres se revezam nas manhãs de formação para a juventude. Cerca de 15 catequeses foram ministradas em língua portuguesa para portugueses, brasileiros, angolanos, cabo-verdianos e demais países que têm esse idioma como língua-mãe. Nelas os peregrinos compartilham experiências, testemunhos e participam do ponto mais alto de todas as catequeses: a celebração da Santa Missa.

Em sua catequese, Dom Orani abordou o tema “Firmes na fé”, na qual falou sobre o secularismo, que faz um barulho muito grande contra tudo o que é da fé. “O Papa tem se preocupado muito aqui na Europa com o secularismo e com o laicismo, e nós no Brasil também temos visto muito, como as pessoas têm falado, a fé como algo à parte da sociedade. Há uma intolerância religiosa muito grande nos dias de hoje”, enfatizou o arcebispo. “É tempo de testemunhar e se aprofundar na fé”, afirma Dom Orani Tempesta. “O Papa Bento XVI, na sua catequese para os jovens da JMJ, disse que é preciso ter uma fé madura, conhecer a Deus e viver n’Ele”, ressaltou Dom Orani, recordando que não existe oposição entre fé e ciência. “É tempo de testemunhar cada vez mais essa fé profunda e entusiasta nos nossos grupos, pastorais e comunidades”, concluiu o prelado.




Fé deve ser vivida na comunidade
Dom Eduardo Pinheiro ministra catequese na JMJ

MADRI, quarta-feira, 17 de agosto de 2011– Cerca de 400 jovens lotaram hoje a Igreja São Domingos Sávio, em Madri, para participar da catequese com o presidente da Comissão da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) para a Juventude, Dom Eduardo Pinheiro. Segundo informa a CNBB, Dom Eduardo destacou a importância da fé na vida das pessoas e a necessidade do cristão vivê-la com participação na vida comunitária. “Não basta dizer que tem fé, se não tem vida comunitária. A vida de Igreja é essencial para a fé”, disse.

Para o bispo, a fé precisa de condições favoráveis para se sustentar. “A fé é adesão pessoal a Deus; é assentimento livre a tudo que Deus criou. Ela necessita indiscutivelmente de condições favoráveis, e a Igreja é o espaço para alimentar a fé”, afirmou. Dom Eduardo denunciou o relativismo e o laicismo que ameaçam a fé. “Partimos da consciência de que vivemos num contexto de esquecimento de Deus. Há um laicismo difundido que quer eliminar Deus da vida pública e privada”.

Ele enfatizou que o respeito à diversidade não elimina o reconhecimento de que a sociedade é religiosa. “A dimensão religiosa é natural no ser humano e não um detalhe que possa ser tirado”. “Quanto menos ética cristã, mais fácil cair nos mecanismos que acabam com nossa liberdade”, acrescentou o bispo. Dom Eduardo condenou o relativismo, que “gera insegurança”. “O relativismo que se propaga é um mal que precisa ser banido com veemência”.

O bispo defendeu, ainda, o uso correto da ciência e criticou “alguns que se dizem cientistas e querem provar que Deus não existe”. “A ciência, enquanto organização da razão para a busca de qualidade da vida, é sagrada, e a Igreja caminha com a ciência. A Igreja foi responsável pela organização e dinamismo de muitas das ciências, mas é contra a manipulação feita por alguns que se dizem cientistas”, disse.

Três jovens deram breve testemunho sobre como viver a fé nas suas dimensões pessoal, comunitária e social. Todos destacaram a importância da fé na vida das pessoas. Durante a catequese, vários padres atenderam as confissões dos jovens.  A catequese terminou com missa presidida por Dom Eduardo Pinheiro.

Fonte: zenit




Cardeal Rylko aos jovens: "Se Deus existe, tudo muda!"
Emocionante abertura da JMJ em Madri

MADRI, quarta-feira, 17 de agosto de 2011 (Zenit.org) – “Nestes dias, a fé estará no centro da nossa reflexão, porque a fé é um fator decisivo na vida de cada homem.“Se Deus existe ou não existe, tudo muda!”: com estas palavras, dirigiu-se ontem aos jovens o cardeal Stanisław Ryłko, presidente do Conselho Pontifício para os Leigos, ao concluir a Missa de inauguração da Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Esta celebração, presidida pelo cardeal Antonio María Rouco Varela, arcebispo de Madri, reuniu na Plaza de Cibeles milhares de peregrinos vindos do mundo inteiro – aproximadamente meio milhão, segundo os organizadores.

Sob um sol abrasador e apesar das numerosas dificuldades logísticas, começou ontem a 26ª Jornada Mundial da Juventude, a segunda em solo espanhol, depois da de Santiago de Compostela. Bandeiras de todo o mundo – espanholas, italianas, brasileiras, polonesas, americanas, entre outras – cobriram toda a área do centro da cidade. Estes jovens, antes de invadir a capital espanhola, participaram, em dias passados, dos atos organizados nas demais dioceses espanholas.

“Nossa reflexão e nossa oração nestes dias estarão guiadas pela palavra de São Paulo, que todos vocês já conhecem: Enraizados e edificados em Cristo, firmes na fé.” A fé, explicou o cardeal Ryłko aos jovens, “é a raiz que nos nutre com a seiva vital da Palavra de Deus e os sacramentos; é o fundamento, a rocha sobre a qual construir a vida, a bússola segura que guia as nossas decisões e dá à nossa vida a orientação decisiva”. “No entanto, muitos hoje se perguntam: em nosso mundo, que tão frequentemente rejeita Deus e vive com se Ele não existisse, a fé ainda é possível?”

A JMJ, afirmou o purpurado, tem como objetivo “dizer em voz alta ao mundo inteiro – em particular a esta Europa que está dando sinais de profunda desorientação – o seu firme 'sim'! Sim, a fé é possível!”. A fé, acrescentou, “é uma aventura maravilhosa que nos permite descobrir toda a grandeza e a beleza da nossa vida”. O cardeal Ryłko recordou, entre os aplausos dos jovens, que esta JMJ “acolheu um hóspede especial”, em referência à proclamação do beato João Paulo II como padroeiro do encontro. De fato, na Missa de inauguração, dedicada ao novo beato, esteve presente uma relíquia de João Paulo II, uma ampola de sangue doada por aquele que foi seu secretário pessoal, o cardeal Stanislaw Dziwisz, à JMJ.

“Ele voltou entre vocês, os jovens a quem tanto amou e que tanto o amaram: voltou como beato padroeiro seu e como protetor a quem vocês podem se confiar; voltou como um amigo – um amigo exigente, como ele mesmo gostava de se definir... E veio para dizer-lhes mais uma vez, com muito carinho: não tenham medo!”, concluiu.





JULHO DE 2011
Arraiá du Bom Pastorrrr

Ôô o Arraiá du Bom Pastorrr foi bom di mais, sô !!! No dia 24 de Julho a Comunidade promoveu a festa julina reunindo pessoas de todas as idades - de idosos a crianças - no salão da Comunidade. Com a maioria vestidos a caráter, a festa foi uma animação só. Apesar do frio, alegria e a fraternidade nos aqueceram.

A festa contou com deliciosas barraquinhas de comidas típicas, como milho verde, salsichão, caldos, doces e salgados. Um forró onde muitos se animaram a dançar, brincadeiras, sorteio de brindes e a quadrilha com um engraçadíssimo casamento caipira, tudo muito animado pelo Pe. Gustavo Ribeiro!!!

A organização do evento ficou por conta dos jovens, a festa foi uma benção só e todos ficaram muito felizes com o resultado, prometendo que no ano que vem seja ainda melhor!!

Clique aqui para ver as fotos

 

NOVOS IRMÃOS

Com muita alegria e gratidão, acolhemos em julho de 2011, os novos irmãos e irmãs que decidiram ingressar em um Grupo de Partilha, após a Experiência de Oração que concluiu o Seminário de Vida no Espírito Santo. Foi uma noite de testemunhos fortes. “Como eu não vou agradecer por aquela pessoa que me levou para baixo depois de todas estas graças ?”. Assim, expressando um perdão vivo no coração, relatou um dos novos irmãos. “Eu disse para meu namorado de três anos de namoro: eu vou para o Seminário de Vida no Espírito Santo. Se você quiser ir, vamos. Se não quiser, sabe onde eu estou”, contou uma linda jovem demonstrando um espírito de decisão e coragem que só o Espírito Santo pode infundir. Todos nós ficamos edificados com o que ouvimos dos nossos irmãos que estão chegando à Comunidade..

No final, Marlene agradeceu a Deus pelas maravilhas que o Senhor operou e junto com Maria do Espírito Santo, chamaram os novos partilhantes para serem acolhidos pelos servos responsáveis por cada grupo.

Os novos Grupos de Partilha terão por base bíblica no primeiro momento os Atos do Apóstolos, em seguida o livro A História da Salvação, do Prado Flores. Glorificamos ao nosso Deus pelos novos irmãos e irmãs que Ele, como Bom Pastor que é, encaminhou à Comunidade para serem alimentados com a Palavra que dá vida, saciados com a Água Viva que restaura e acolhidos pelos laços de amor com que o Pai deseja para todos os Seus Filhos.

JUNHO DE 2011
Retiro - O Amor cura

“A arma mais poderosa na luta contra o mal é o Amor, mas o amor não é sentimento. O Amor é uma Pessoa: o Espírito Santo. Amar é optar pelo Espírito Santo”. Palavras como estas nos inundaram no Amor de Deus, no nosso retiro mensal que aconteceu nos dias 17, 18 e 19 de junho, no salão da Comunidade.

O encontro foi aberto na 6ª feira, às 20h, com a Missa celebrada pelo Pe Felipe Lima que na homilia disse: “Só valorizamos o que amamos. Nosso olhos só serão iluminados se tivermos comunhão com Deus em uma vida sacramental. Desde que o homem caiu, Deus não deixou de ir ao seu encontro. A vida de perseverança passa pela cruz”.

A manhã de sábado ficou por conta do diácono Melquisedec, da Comunidade Pequeno Rebanho. Ele partilhou: “Considerai com que amor Deus nos amou, I Jo 3,1. O maior atributo do Amor é a capacidade de amar a quem não merece ser amado. Perdoar é a única forma de cortar o ciclo do ódio que nos envenena. Precisamos aprender a via da reconciliação, primeiro com Deus, depois conosco mesmo, para aí sim, fazer com o outro. Para ser curado, eu preciso rasgar a dívida que o outro tem comigo e dizer, na força do Espírito Santo: você não me deve mais nada”.

Na terceira palestra do dia, Pe Roberto Luiz nos alertou: “Estamos em um combate, por isso precisamos conhecer o nosso inimigo e tomar cuidado para evitar dois erros: não podemos supervalorizá-lo achando que o diabo é maior do que minhas forças, como também ignorar que ele existe. A maior arma contra o inimigo é a Palavra de Deus. A nossa vitória contra o mal vem da Palavra de Deus e dos nossos joelhos dobrados diante do Senhor. Caímos em várias ciladas quando não oramos pois esquecemos que a luta não é contra homens de carne e sangue mas sim contra as forças espirituais ..., Ef. 6,12. Nossa oração rasga o céu e rompe qualquer mentira do inimigo. Para isso preciso me tornar um homem da Palavra, uma mulher da Palavra”.

Pe. Gustavo ministrou as duas pregações da manhã de domingo. Ele nos mostrou que “não se pode falar de amor sem falar da Cruz, pois ali está a maior prova de amor. Na Cruz, Jesus abriu Seu Coração para que pudéssemos entrar com nossas feridas. O Amor de Jesus me faz ver com outros olhos as situações difíceis. Se nós não vigiarmos, corremos o risco de permanecer no ódio, ciúme, inveja. Muitas das nossas franquezas estão ligadas ao medo. E o inimigo investe pesado para nos derrubar. Temos que nos manter vigilantes. O auto-conhecimento é a grande arma e, ao mesmo tempo, um caminho certo para a santidade”.

A conclusão do retiro ficou com o Pe Ramon : “Quando eu guardo mágoa, estou convidando Deus a sair da minha vida. Fomos transladados da morte para a vida. Hoje eu preciso optar pelo Amor. Amar é efetivar a Vitória que Cristo conquistou na Cruz para nós. Para isso, é necessário remover as barreiras. O Amor, que é o Espírito Santo, quer vencer na sua história, na sua casa, no seu trabalho”, concluiu o sacerdote que também celebrou a Missa de encerramento no domingo. No final, saímos com a consciência mais pura de que ao comungar o Corpo de Cristo, em cada Eucaristia, estamos também comungando com o Seu Corpo, isto é com todos os filhos e filhas de Deus, no Amor do Espírito Santo.

Clique aqui para ver as fotos

MAIO DE 2011
Nova moderadora

Com gratidão e alegria a Deus e renovado amor fraterno, a Comunidade Bom Pastor reunida em assembléia geral, elegeu, no dia 28 de maio, Maria Marlene de Castro Carvalho, como a nossa nova moderadora, sob a assistência de Dom Roberto Lopes, Vigário Episcopal para Vida Consagrada da Arquidiocese do Rio, e do Pe. Antonio José e Pe. Gustavo Ribeiro. O Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, não pôde estar presente mas, através de Dom Roberto, comunicou que estava unido em oração pela eleição.

Marlene é membro da Comunidade desde 1980, é consagrada, faz parte do Conselho, é responsável por serviços apostólicos, e passou a exercer o cargo de moderadora interina, quando Doris pediu dispensa da função, através de carta ao Arcebispo do Rio, diante do agravamento da doença do marido, João. A partir daí, com a orientação de Dom Roberto e do Pe. Antonio José, designado pelo Bispo como diretor espiritual da Comunidade, junto com a fundadora, teve início o processo de preparação, em fevereiro deste ano, para o primeiro Capítulo Geral como Comunidade de Direito Diocesano.

O dia marcante da eleição, que providencialmente foi também o aniversário de 62 anos de casamento dos nossos fundadores, João e Doris, teve início com a Missa celebrada por Dom Roberto. Na homilia, ele destacou que, quando uma Comunidade se reúne em assembleia como “vocês estão aqui, isto é um acontecimento eclesial, momento belo da Igreja, pois é o momento onde atualizamos o Pentecostes, com Maria e os discípulos. Antes disso, porém, houve a necessidade de eleger Matias. E é por isso que estamos aqui, para eleger o nosso Matias”.
Após a celebração, Pe. Antonio José expôs o Santíssimo Sacramento que permaneceu assim, durante todo o dia até o final. A Assembléia Geral, que contou com 149 membros, elegeu primeiramente o novo Conselho da Comunidade formado por 25 membros consagrados. A partir do Conselho formado, toda a assembléia votou para moderador, entre os 25 nomes, elegendo a Marlene que, em seguida, tomou posse e fez o juramento, com a mão sobre a Bíblia e sob a mão da Doris, como a nova moderadora da Comunidade Bom Pastor.

Clique aqui para ver as fotos

 

JANEIRO 2011
Happy Hour com Jesus

No sábado, 29 de janeiro aconteceu na Comunidade Bom Pastor o primeiro Happy Hour do ano, reunindo cerca de 200 jovens que se esbaldaram no salão da Comunidade. Agora, todo sábado seguinte à vigília será noite de dança e música na Comunidade. O DJ Vitor Sales comandou a noite, empolgando a galera que dançou sem parar ao som de louvores a Deus produzidos em ritmos variados. A festa também contou com a presença do cantor Bruno Camurati e do Leandro, vocalista da Banda Frutos de Medjugore, que além de dar uma canja, conduziu um ungido momento de oração. Para coroar a noite de alegria, recebemos dois sacerdotes, Pe. Antônio José e Pe. Ezequiel, da Comunidade Jesus, na Diocese de Benguela, Angola, na África.

Clique aqui para ver as fotos do Happy Hour

 

Retiro “Andar na Presença de Deus”

“Como aprender a andar na Presença de Deus?” esta é a questão fundamental que está no coração da Doris como palavra de direção para nós da Comunidade Bom Pastor em 2011 e foi esse o tema do primeiro retiro do ano, que aconteceu nos dias 14, 15 e 16 de janeiro.

O retiro teve início com missa celebrada pelo Pe. Leandro Curi, diretor geral da Rádio Catedral e pároco da Paróquia Imaculada Conceição e São Sebastião do Engenho Novo.

"Como batizados, somos chamados, como fez Jesus, a ouvir a Deus para compreendermos qual a nossa missão, a missão que cada um recebe. Para isso, é importante estar atento à Voz do Senhor e acreditar na proposta que Ele nos faz e que está renovando hoje: crer e ir adiante".

 

“Anda na minha presença e sê íntegro” (Gen 17,1), esse foi o tema da primeira palestra na manhã de sábado, ministrada pelo Pe. Rafael, de Niterói. Ele nos lembrou que nunca estamos sós “pois em Sua promessa, Jesus nos afirma: “Eis que estou convosco até o fim dos dias. Sabendo que Ele é Verdade e Caminho para nós, podemos contar com a companhia do Senhor conosco, em todos os momentos”. No final da manhã, Pe Rafael conduziu uma hora de adoração diante do Santíssimo Sacramento. Pe Ramon, da Paróquia N S da Paz, deu continuidade, com a palestra Andar com Deus é ouvir a Sua voz e não endurecer o coração. “O caminhar só é possível quando há a escuta do coração, pois somente aí o Espírito Santo pode produzir os frutos que Deus espera e deseja de nós”.

 

No domingo, as palestras foram ministradas por dois seminaristas, Gabriel, consagrado da Comunidade e Antonio Augusto. Gabriel nos fez entender "que andar com Deus é se render à sua Vontade. Como? Contemplando Jesus e obedecendo-LHE. Você quer seguí-Lo? Obedeça e creia". Antônio Augusto, da Paróquia São João Batista, em Botafogo, falou sobre o tema Andar com Deus é viver sob as bênçãos e ser portador de bênçãos. "O caminho é uma pessoa: JESUS. Por isso não se pode percorrê-Lo sem o encontro, face a face com o Senhor, deixando que Ele revele o que deve ser mudado e assim possamos acolher a vontade do Pai para nossas vidas. Neste passo a passo, aprendemos a lidar com as pessoas nas suas diferenças". A missa de encerramento foi celebrada pelo Pe Tiago Sardinha renovando nos corações a certeza da presença de Deus a cada instante de nossas vidas.

Clique aqui para ver as fotos do retiro.

 

 

Virgília

A primeira vigília do ano, dia 28 de janeiro, contou com uma presença bem especial: Dom Nelson Francelino, no dia ainda, Mons Nelson, que uma semana antes de ser sagrado Bispo, veio participar da vigília junto com o povo, cerca de 1.300 pessoas, a maioria jovens.

 

Iete testemunha: "Foi uma honra para nós. Ver aquele homem tão simples, com palavras tão sábias que tinha saído do retiro de preparação para assumir o episcopado vir nos visitar. Era como se naquela primeira vigília do ano, o Senhor mesmo, na pessoa de um dos sucessores dos apóstolos estivesse nos dizendo: muito me alegro com vocês, esta vigília é caminho de salvação". Queremos louvar a Deus também pela presença do Pe Tiago Sardinha que celebrou a Missa e ministrou a bênção com o Santíssimo às 3 da manhã e do diácono Melquisedec que empolgou os jovens com suas palavras.

 

 

 

Coral Infantil da Igreja Batista

 

O Grupo de Oração da noite contou com a apresentação do Coral infantil da Igreja Batista Central do Catumbi no dia 31 de janeiro. As crianças cantaram salmos em hebraico deixando a assembléia encantada e emocionada. Como a regente disse: "A música é o que nos une. Quando nos apresentamos aos israelitas, eles ficam emocionadíssimos, pois admiram o esforço das crianças cantando em uma língua tão difícil para os brasileiros como é o hebraico" . Foi uma noite abençoadíssima, uma noite de unidade. O Pastor com os membros daquela igreja irmã, o Padre Ezequiel, sacerdote angolano em visita ao Brasil e nós, os católicos, juntos em louvor, com certeza, alegrou o coração do Pai. .

 


"Aconteceu" Anteriores
2010 2009 2008 2007


"Eu vim lançar fogo à terra..." (Lc 12,49)